Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

07/10/2016 16:28

Ciência pode melhorar qualidade dos alimentos que a população consome

Portal Brasil

Para ampliar o conhecimento sobre o assunto, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em parceria com a Universidade Estadual Paulista (Unesp), criou um centro de referência em segurança alimentar para o desenvolvimento de pesquisas que apoiem a formulação de políticas públicas.

As contribuições da ciência para a produção de alimentos e a segurança alimentar fazem parte da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que o MCTIC realiza entre 17 e 23 de outubro, em todo o País.

"Vencemos a primeira etapa, que era vencer a fome de forma endêmica. O próximo passo é fazer com que as pessoas se alimentem melhor e de forma mais saudável", afirmou o diretor do Departamento de Ações Regionais para Inclusão Social do MCTIC, Osorio Coelho.

Segundo ele, a ciência e a tecnologia têm papel importante na qualidade dos alimentos que a população consome. "Isso envolve um viés de pesquisa e inovação, porque a segurança alimentar é muito abrangente. Vai desde a questão do abastecimento até o acesso ao alimento, passando inclusive por doenças decorrentes de má nutrição. O papel da ciência e tecnologia é o de se chegar a soluções inovadoras e que possam incluir socialmente as pessoas e de uma forma a alimentação delas seja mais saudável e que elas tenham acesso a alimentos de qualidade", explicou.

Na visão do membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e professor emérito do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco (IFPE), Malaquias Batista Filho, a ciência é a base para a geração de conhecimento e a construção de políticas públicas mais eficazes para garantir o acesso da população a alimentos com qualidade e em quantidade suficientes.

"Há uma série de dimensões que temos que abordar quando falamos em segurança alimentar e nutricional. Uma produção sustentável e que traga alimentos de qualidade, o acesso da população a esses alimentos e a forma como eles são consumidos, por exemplo. A construção de conhecimento baseado nessas dimensões é fundamental para conhecermos melhor as necessidades e que tipo de ações devemos tomar para garantir a segurança alimentar. Além disso, pode-se moldar ações de saúde e de promoção da qualidade de vida com base nessas mesmas informações. A pesquisa é a base para termos um quadro de real segurança alimentar no Brasil", afirmou Batista Filho.

Para a médica epidemiologista e professora do Departamento de Medicina Preventiva e Social da Universidade de Campinas (Unicamp), Ana Maria Segall Corrêa, o Brasil "avançou muito" na produção de conhecimento em segurança alimentar nos últimos anos. Porém, ainda é preciso aumentar o número de estudos e publicações voltados ao tema.

"Avançamos bastante, mas precisamos construir um conhecimento mais abrangente para entendermos essas questões com mais clareza. O monitoramento permite a avaliação das medidas adotadas e é um instrumento muito importante para construirmos esse conhecimento", observou, durante debate no 2º Encontro Nacional de Pesquisa em Segurança Alimentar e Nutricional (ENPSAN), em Brasília (DF).

Interação

A ciência também serve como ponte para a troca de conhecimento entre academia, governo e sociedade. Segundo a analista em ciência e tecnologia da Coordenação-Geral de Pesquisa e Desenvolvimento da Segurança Alimentar e Nutricional (CGSA) do MCTIC, Elaine Martins Pasquim, a interação entre estes atores é importante para criar uma relação de ganhos para todos.

"É muito importante uma ação conjunta entre academia, políticas públicas e sociedade. A ciência é o elo entre todas elas. A sociedade oferece os subsídios para que a academia avalie, por meio de estudos, o impacto das políticas públicas. Também pode ser criada uma nova política pública com base em pesquisas. É uma relação simbiótica e que traz benefícios para todos", destacou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)