Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

25/05/2004 08:59

Centro-Oeste tem 2ª pior habilitação de professores

Maristela Brunetto / Campo Grande News

Pesquisa da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) divulgada na tarde desta segunda-feira em Brasília traçando um perfil dos professores brasileiros coloca o Centro-Oeste do País na constrangedora posição de ter a segundo menor quadro de docentes habilitados para o magistério. A Fetems e a Secretaria Estadual de Educação apontam que este cenário não é o reflexo de Mato Grosso do Sul.
A análise aponta que a região Norte (14,8%) e a região Centro-Oeste (14,2%) são as que mais possuem professores sem a habilitação. Em dados gerais, a pesquisa com 5 mil professores aponta que 67,6% têm ensino superior e 32,3% só concluíram o ensino médio. Pelos dados de 2002 da Secretaria de Educação, apenas dois mil professores de ensino fundamental não tinham o ensino superior. A gestora do ensino fundamental da Secretaria, Maria Ângela Fachini, diz que em Campo Grande todos os professores têm formação superior e lembrou que há nove pólos da UEMS formando professores que ainda não tem diploma. Ela destacou ainda cursos de capacitação, além da formação universitária.
No Brasil há 1,69 milhão de docentes. Destes, 82% estão na rede pública e 18% na rede particular. Os professores de escolas privadas ganham mais- 43,5% recebe de 10 a 20 salários, enquanto só 27% dos que atuam com o ensino público estão nesta média salarial.
O Centro-Oeste é o terceiro em relação ao valor dos salários. Na região, 26,8% ganham acima de 10 mínimo. No Sudeste e Sul do País os professores ganham mais. No caso de professores da rede estadual com formação superior e carga de 40 horas semanais, o salário é de R$ 1,2 mil.
Apesar dos salários não serem um atrativo à profissão, mais da metade dos professores vive, ou sobrevive, com apenas um emprego. Um dado que prova a sobrecarga de profissionais: para melhorar os vencimentos, 2,9% dos docentes brasileiros atuam em quatro ou mais escolas, correspondendo a 48 mil professores. Segundo a presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), Mara Carrara, há professores que chegam a cumprir carga de 60 horas semanais.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)