Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

07/10/2003 14:42

CCJ mantém regra para subteto estadual

Agência Senado

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) rejeitou hoje, por 14 votos a oito, a emenda à proposta de reforma da Previdência que pretendia unificar o subteto salarial estadual com base no subsídio dos desembargadores dos Tribunais de Justiça. Assim, permaneceu inalterado o texto aprovado pela Câmara, que define o salário dos governadores como teto das aposentadorias dos servidores públicos estaduais.

Diante das críticas feitas ao dispositivo durante a reunião da CCJ, o relator da matéria, senador Tião Viana (PT-AC), e o líder do governo, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), se comprometeram a buscar um acordo sobre a matéria junto ao Executivo e aos governadores antes da votação final da PEC em Plenário.

Um dos itens mais polêmicos da reunião, o subteto será alvo de novas emendas em Plenário. O líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), afirmou que o partido tem compromisso de modificar esse dispositivo da reforma e, apesar de ter votado contra a emenda na tentativa de buscar um acordo, não vai apoiar a aprovação da PEC sem essa modificação.

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) anunciou que apresentará em Plenário emenda no mesmo sentido. De acordo com o senador, de 1,5 milhão de servidores públicos, apenas 300 ganham acima do teto de R$ 17,3 mil. “O teto é necessário, mas não podemos sacrificar direitos de servidores públicos”, afirmou.

O líder do PFL, senador José Agripino (RN), considerou a proposta falha, pois há grandes diferenças de remuneração entre os salários dos governadores dos diferentes estados e, em alguns deles, existem até mesmo “salários virtuais”.

Já o líder do PDT, senador Jefferson Péres (AM), disse que esse dispositivo da PEC causa aflição aos servidores públicos dos estados, que “estarão à mercê dos governadores”. Para Jefferson, o único subteto deveria ser o subsídio recebido pelos desembargadores dos Tribunais de Justiça.

Nesse ponto, a PEC da reforma da previdência teve 26 emendas destacadas. Por acordo do governo com a oposição, as emendas estão sendo debatidas em bloco há duas semanas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 28 de Setembro de 2020
10:08
Campo Grande
Domingo, 27 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)