Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/10/2009 19:02

Cassel vai ao Senado explicar repasses federais ao MST

Agência Brasil/ Marcos Chagas

As ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) retornarão à pauta do Senado após o feriado de Nossa Senhora Aparecida. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, deve comparecer a reunião da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária para debater com os senadores os repasses feitos pelo governo federal ao movimento.

A audiência pública promovida pela comissão com este objetivo está marcada para terça-feira (13), às 9h30. Também participarão o presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (Abra) e o ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira, Luiz Marcos Suplicy Hafers. Outro tema que será incluído no debate é a fixação em 80% da terra cultivada como índice de produtividade a agricultores e pecuaristas. Caso a meta não seja cumprida, as terras poderiam ser passíveis de utilização para fins de reforma agrária.

O debate em torno dos repasses de recursos do governo aos movimentos sociais ganhou força após integrantes do MST invadirem e derrubarem com trator um laranjal, em São Paulo, numa fazenda de propriedade da Cutrale, maior exportadora de suco de laranja do mundo. O episódio ocorreu na semana passada e gerou um amplo debate, inclusive na comissão.

A consequência deste fato foi a reativação, pelas bancadas ruralistas da Câmara e do Senado, do movimento em prol da criação de uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) para investigar o repasse de recursos ao movimento, tanto pelo governo federal quanto por instituições internacionais. O requerimento deve ser protocolado na Mesa Diretora do Congresso logo na terça-feira (13), após o retorno dos parlamentares do feriado.

No Senado, já se tentou investigar os repasses federais a organizações não governamentais. Uma CPI com esse intuito foi criada há três anos e os requerimentos apresentados sequer são votados pela falta de quórum nas reuniões. O presidente da comissão, Heráclito Fortes (DEM-PI), acusa a base aliada do governo de paralisar o andamento das investigações.

Ele também quer, nesta semana, recolocar os trabalhos da comissão na pauta do Senado. A CPI das ONGs não foi adiante por falta de quórum. “Eu ainda não sei quais providências vou tomar, mas alguma coisa tem que ser feita já a partir desta semana”, afirmou à Agência Brasil o senador, que está na República Dominicana.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)