Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/07/2016 06:40

Casal é preso com 2 milhões de dólares em operação de segurança na BR-262

Midiamax
Casal é preso com 2 milhões de dólares em operação de segurança na BR-262

 

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) e o Dof (Departamento de Operação de Fronteira) apreenderam em torno US$ 2 milhões durante um bloqueio da Operação “Corumbá Segura II” no KM 772 da BR-262 em Corumbá, na noite deste sábado (09). Covertido em reais, o valor fica em torno de R$ 6,5 milhões. As fotos dos dois já foram divulgadas porém suas identidades ainda não foram informadas.

De acordo com a PRF, durante fiscalização de um ônibus de itinerário Campo Grande-Corumbá, foi feita a abordagem em um casal que transportava vários embrulhos de presentes com “conteúdo não informado”.

Devido ao nervosismo e informações desencontradas do casal, os policiais abriram os invólucros e constataram vários maços de dólares. Ainda segundo a PRF, a contagem não foi finalizada, mas deverá ser o maior valor de dólares já apreendidos em ônibus pela PRF.

O casal e o dinheiro foram levados à delegacia da Polícia Federal, onde o está sendo feita a contagem do dinheiro e a prisão em flagrante do casal.

Operação ‘Corumbá Segura II’
A Operação ‘Corumbá Segura II’ deflagrada pelo GGI-Fron (Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira) realiza o patrulhamento nas entradas e saídas da cidade para a repressão a crimes na fronteira. Como no caso da apreensão, também são realizadas a vistoria em veículos e buscas foragidos da Justiça.

A Polícia Militar, Dof (Departamento de Operações de Fronteira), Polícia Civil, PRF (Polícia Rodoviária Federal), Policia Federal, PMRv (Polícia Militar Rodoviária); Guarda Municipal, Agetrat; Marinha e órgãos de segurança participam da operação.

'Operação Quijarro'
No último dia 29, a Polícia Federal cumpre mandados de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva em três estados, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. A ação faz parte da denominada 'Operação Quijarro' e desmantela um grupo que transportava da Bolívia para o Brasil, através do MS, até duas toneladas de cocaína por mês.

Segundo a PF, participam da ação 150 policiais federais, que cumprem 81 mandados judiciais, 14 mandados de prisão preventiva, 17 de busca e apreensão de imóveis, 43 de busca e apreensão de veículos e 7 de condução coercitiva. Os mandados são cumpridos em Londrina e Araucária (PR), Corumbá (MS), Martinópolis, Presidente Prudente e São Paulo (SP).

As investigações começaram em janeiro de 2015 e analisavam um grupo responsável pela logística do transporte da cocaína em Londrina, com ramificações no Brasil, Bolívia, Colômbia e Espanha. A Polícia Federal, em cooperação internacional com a polícia boliviana, conseguiu prender os traficantes mais procurados naquele país, responsáveis pela entrada de duas toneladas de cocaína por mês no Brasil.

Conforme nota divulgada pela PF, a cocaína era transportada em caminhões e carretas com fundos falsos, preparados pra o transporte da droga. Durante as investigações foram apreendidas mais de 3 toneladas de cocaína e US$ 10 foram sequestrados do núcleo boliviano. No Brasil foram identificados os imóveis utilizados para carregamento, descarregamento e 'confecção' de fundos falsos nos veículos.

Também no Brasil foram sequestrados 7 imóveis, além de várias contas bancárias bloqueadas. Os presos responderão por tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro, associação para o tráfico, falsificação de documentos públicos e privados, furto, homicídio, roubo e organização criminosa, somando mais de 20 anos de prisão.

De acordo com a Polícia Federal, o nome da operação 'Quijarro', se deve ao fato que a organização ingressava no Brasil através do Puerto Quijarro, na Bolívia, fronteira com Corumbá. (Matéria atualizada para acréscimo de informações)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)