Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/04/2008 20:10

Carne: aumento do consumo não é maior rentabilidade

Sato Comunicação

“Aumento de consumo não significa necessariamente aumento de rentabilidade”. O alerta é do coordenador de unidade da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (FAMASUL), Robson Souto, após a divulgação da previsão da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) de que o consumo interno de carne bovina deve aumentar cerca de 1,6% em 2008, se o crescimento do PIB nacional atingir 4,5%, neste ano. De acordo com dados do Fórum Nacional Permanente da Pecuária de Corte da CNA, este aumento de consumo poderá atingir os 2%, num quadro otimista de crescimento de 6% do PIB no mesmo período.

Segundo o coordenador, ainda que momento vivido pela pecuária de corte no Brasil, de um modo geral seja bom, em que os preços têm se mantido firmes, em alta, isso não significa necessariamente aumento da rentabilidade para os produtores rurais. “Muito se deve ao aumento dos custos de produção da pecuária de corte, principalmente dos insumos”, justifica Souto.

Sobre o caso de Mato Grosso do Sul em particular, ele explica que desde a ocorrência em 2005, dos focos de febre aftosa nos municípios de Eldorado, Japorã e Mundo Novo, a pecuária do estado vem sendo penalizada com preços baixos, que chegaram a atingir patamares inferiores aos custos de produção. “Isso fez com que o setor ficasse descapitalizado. Então devemos pensar primeiro em reposição de capital, em recuperação e equilíbrio do setor, antes de falar em real aumento da rentabilidade da atividade”, analisa.

Preços e consumo
Souto lembra também que o aumento e estabilidade dos preços no mercado brasileiro se devem, principalmente, ao aumento interno do consumo de carne, que a exemplo de outros países emergentes é devido ao efeito da melhor renda sobre o poder de compra dos consumidores.

“Outro fator que também! contrib ui para manter os preços estáveis é a redução do rebanho bovino que pode ser observado no país e em Mato Grosso do Sul em especial, segundo dados preliminares do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)”, cita Robson Souto. Ele finaliza lembrando que, “como qualquer outro setor da economia, o setor da pecuária de corte está submetido à lei universal de mercado, da oferta e demanda”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)