Cassilândia, Sábado, 23 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

05/04/2006 07:41

Câmara Federal aprova MP sobre cargos

Agência Câmara

O Plenário aprovou ontem uma das seis emendas do Senado ao projeto de lei de conversão da Câmara para a Medida Provisória 269/05, que aumenta os valores de gratificações de carreiras das agências reguladoras, cria 400 cargos efetivos na carreira diplomática e 2020 cargos em carreiras da área de ciência e tecnologia. A matéria irá à sanção presidencial.
A emenda diminui de um ano para seis meses o prazo dentro do qual o Poder Executivo deverá enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei sobre a reestruturação da remuneração dos servidores do Plano de Classificação de Cargos (PCC) requisitados para as agências reguladoras. Além do prazo, os senadores também criam algumas regras, como a proibição, a partir da publicação da futura lei, da redistribuição de servidores para as agências e da requisição para o exercício de cargos em comissão abaixo do nível DAS 4. O Senado incluiu ainda a previsão de reestruturação da remuneração dos servidores das carreiras específicas das agências.

Cargos em comissão
Na votação, os deputados seguiram o parecer do relator, deputado Marco Maia (PT-RS), mas tiveram de analisar ainda um destaque para votação em separado (DVS ) do PSDB que pedia a aprovação de outra emenda para retirar do texto a criação de 191 cargos em comissão e funções gratificadas para a administração federal. O DVS foi rejeitado por 220 votos a 183 e a criação dos cargos permaneceu no texto.
Em defesa da exclusão dos cargos, a oposição criticou o que considerou um excesso de cargos de livre nomeação no Governo Lula. Apesar de não constar do texto da MP a alocação desses cargos, o governo explica na exposição de motivos que elas se destinam aos hospitais federais cuja administração retornou ao Ministério da Saúde e ao Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para duas novas diretorias voltadas às atividades de licenciamento e qualidade ambiental.

Emendas rejeitadas
Três das emendas rejeitadas pelos deputados excluíam artigos que definiam o fato gerador, os juros e multa por atraso no pagamento da Taxa de Fiscalização da Aviação Civil (TFAC), além de pedir a manutenção da cobrança de algumas taxas de serviços prestados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que foram excluídas pela MP.
O Plenário rejeitou ainda emenda que diminuía de 400 para 105 o número de cargos efetivos criados pela MP na carreira de diplomata.



Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição – Natalia Doederlein


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 23 de Setembro de 2017
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)