Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

26/10/2015 18:03

Bancário - atividade a beira da extinção

Redação

Numa ponta, os banqueiros nunca ganharam tanto como agora. Na outra, a perda crescente dos bancários; pela insaciabilidade de lucros dos patrões e graças a concorrência da informática que utilizam.


No passado, bancário era profissão desejada por muitos jovens. O ingresso no Banco do Brasil dava status social, era visto como uma garantia de um futuro tranquilo. Casar a filha com um funcionário daquela autarquia, por exemplo, era o sonho de muitos pais.


No interior deste Brasil afora, a figura do gerente nas pequenas comunidades, tinha a mesma importância do prefeito e do Juiz de Direito. O gerente de banco era figura obrigatória em todos os eventos. Era convidado para ser paraninfo de formandos, inaugurar praças e prédios públicos, além de ocupar lugar na mesa das autoridades constituídas da cidade nas datas cívicas.


Não foram poucos os bancários que usaram da atividade para o passaporte rumo a atividade empresarial e a política partidária. Um exemplo é o ex-deputado Saulo Queiróz, que após ocupar uma diretoria do Banco do Brasil acabou elegendo-se para a Câmara Federal.


Mas isso é passado! Não conta, não ajuda em nada. Apenas para ilustrar a decadência da atividade. Hoje, se o simples bancário perdeu espaço no quadro laborial, o gerente perdeu a autonomia de antes. Ambos estão centrados e inseguros, em satisfazer a política dos patrões para garantir o próprio emprego. Nada mais!
Hoje o bancário sabe que seu currículo conta muito pouco para a empresa. Sua dedicação não é levada em conta. É apenas um número no cadastro. A qualquer hora pode receber a comunicação via internet de que está demitido e ponto final.


As estatísticas mostram que o bancário é a classe que mais tem dificuldades em se readaptar em outra atividade quando demitido. O desafio é o que fazer se demitido aos 50 anos de idade. Ser corretor de imóveis? Vendedor de seguros? Montar o próprio comércio? Isso sem contar a questão de saúde, cujas estatísticas mostram um quadro preocupante na classe. Estresse puro!


O texto visa mostrar o triste e inevitável quadro envolvendo o homem e o capitalismo, onde as grandes corporações imperam, manipulam e ditam as normas.


Os banqueiros são os carrascos; bancários - as vítimas do cruel sistema.
De leve

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)