Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/04/2006 23:06

Autonomia e identidade indígenas são principais temas

Érica Santana/ABr

As comunidades indígenas devem ser tuteladas pelo Estado brasileiro ou devem ter autonomia política? Mesmo morando na cidade, o índio deve manter seus direitos e sua identidade? Essas são as duas principais perguntas que as 800 pessoas presentes à Conferência Nacional dos Povos Indígenas querem responder.

A questão da tutela, segundo o índio Caboquinho Potiguara, um dos organizadores do evento, é um dos pontos mais polêmicos. "Muitos ainda entendem a tutela como sendo um dever do Estado". Segundo ele, outros já não tem essa opinião e preferiam que as aldeias fossem autônomas politicamente em relação ao Estado brasileiro.

No debate sobre a identidade civil, Potiguara afirma que os indígenas querem esclarecer melhor essa relação. "Saber até onde vai a proteção ao índio; se ela é igual para todos ou só para os índios que vivem nas aldeias".

"Não interessa se os índios vivem na cidade ou não. Eles nunca vão deixar de ser índios, desde que eles se reconheçam como tal", considera Maria Helena Paresi, da liderança indígena de Mato Grosso.

Já o índio Pirakuman Yawalapiti, da liderança do Xingu, avalia alguns índios urbanos estariam tomando a frente das comunidades indígenas sem autorização. "Muitos deles não conhecem mais a realidade dos índios que vivem nas aldeias", explica.

Por essa razão, Maria Helena Paresi acredita ser preciso tratar o assunto com cuidado, "para que os índios das aldeias não sejam afetados".Para o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Mércio Pereira, parece haver uma tendência em dizer que índio é aquele que pertence a um povo ou uma etnia. "Índio não é cor, nem pele, nem Dna, é um sentimento de pertencimento. Essas discussões são importantes pois esclarecerão muito da política indigenista brasileira, da atitude que o Brasil deve ter com os povos indígenas"

Os 800 representantes dos povos indígenas que participam da Conferência estão reunidos em 10 grupos de trabalho para chegarem a consenso sobre as propostas apresentadas e discutidas ao longo do encontro. Os grupos são divididos de acordo com o seguintes temas: autonomia, território, educação, saúde e índios urbanos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)