Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

25/11/2009 09:11

Artigo: A moderna internet e a velha malandragem

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves*

A internet, poderosa ferramenta que revoluciona o mundo, também abriga dissabores. É grande o número de usuários que relatam terem sofrido golpes através desse meio eletrônico. Contas bancárias invadidas, despesas indevidas lançadas no cartão de crédito e, mais recentemente, compras em que fazem o pagamento mas não recebem a mercadoria. Internautas do mais alto nível têm caído nesses golpes e começam a procurar a polícia em busca de solução. A fraude mais recente é a clonagem de páginas de um afamado portal de vendas para a intrusão de vendedores falsos, que desaparecem com o dinheiro da clientela.

Todas essas ocorrências não constituem novidades no meio policial. Sempre que surge uma nova ferramenta, ela recebe as mais diferentes utilizações e fatalmente também serve aos propósitos dos criminosos. Assim é com todas as coisas. O dinheiro, por exemplo, com todo o rigor tecnológico empregado na sua produção, é largamente falsificado em todas as partes do mundo. Documentos públicos e privados – especialmente escrituras – que sustentam algum valor econômico também são copiados e utilizados para fraude. Carros fortes, bancos, empresas e residências são roubadas

No passado, o criminoso mais comum era o batedor de carteiras, hoje praticamente extinto. A crônica policial registra “causos” como o do espertalhão que “vendeu” a Estação da Luz (em São Paulo) a um caipira que ali desembarcou. Conta-se a mesma estória sobre Edifício Martinelli, monumentos, estádios, pontes e grandes viadutos que constituem ícones em São Paulo e em outras capitais, igualmente “vendidos” por estelionatários. É a criatividade e a esperteza aproveitando-se da boa fé e, muitas vezes, da ganância dos mais simplórios. Caso típico da venda de bilhetes premiados, golpe dos mais antigos, aplicado diariamente em diferentes pontos do pais, especialmente em idosos.

A ferramenta nova, independente de sua função, exige cuidados. Não se pode esquecer que a maioria dos crimes é praticada com o uso dos recursos técnicos e sociais que o homem desenvolveu para o seu bem-estar. Os criminosos apenas mudam seu foco da ação para o ilícito. Daí a necessidade do poder público e os prestadores de serviços criarem as defesas – inclusive na área policial - e de toda a comunidade usuária estar consciente de que, assim como a moeda tem cara e coroa, todas as coisas, até as mais sofisticadas, têm seu pólo positivo e, também, o negativo.

As compra, a movimentação bancária e os milhares de serviços hoje disponibilizados via internet constituem um avanço e contribuem para o conforto da população. Mas há que guardar cautela para não se tornar presa fácil dos sucessores de Amleto Meneguetti, Ronald Biggs, Luz Vermelha e de outros facínoras que no passado povoaram as páginas policiais, pois, mesmo sem internet, caixa eletrônico ou rede de computadores de alta velocidade, já assaltavam, enganavam, roubavam e cometiam os mais variados delitos.

A malandragem é a mesma. O que muda é a tecnologia. Toda atenção é pouco...



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves* – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br



O Cassilândianews não se responsabiliza por artigos com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)