Cassilândia, Domingo, 28 de Maio de 2017

Últimas Notícias

28/04/2004 20:08

Aprovado novo cálculo de alíquota para segurança

Agência Brasil

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou, hoje, a metodologia de cálculo que vai permitir a flexibilização das alíquotas pagas pelas empresas a título do que era conhecido como Seguro Acidente de Trabalho (SAT).

Essas alíquotas são usadas para o financiamento do benefício de aposentadoria especial e daqueles concedidos por incapacidade de trabalho, decorrentes de acidente de trabalho.

Atualmente, as empresas pagam 1%, 2% ou 3% sobre a folha de pagamento, de acordo com o grau de risco (leve, médio ou grave) e com o ramo de atividade econômica. Essa flexibilização vai permitir uma avaliação individual das empresas, na comparação com outras da mesma atividade econômica, permitindo a redução à metade ou até a duplicação da alíquota.

Será instituído o Fator Acidente de Trabalho, que levará em conta os coeficientes de gravidade, freqüência, ou custo dos acidentes de trabalho.

Com a aprovação dessa metodologia, prevista na lei 10.666, de 8 de maio de 2003, a entrada em vigor da nova forma de cálculo dependerá de um decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com o decreto, será possível aperfeiçoar o enquadramento dos ramos de atividade econômica das empresas por grau de risco. O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) também adotará procedimentos de adaptação em sistemas para o cálculo da alíquota de cada empresa, após a publicação do decreto presidencial.

Para embasar a nova metodologia, será consultada a Classificação Internacional de Doenças (CID), codificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A CID é fornecida pelo médico que prestou atendimento ao trabalhador acidentado ou doente, e exigido para a concessão do benefício.

A CID independe da comunicação da empresa ao INSS e, por esse motivo, foi escolhida para basear a metodologia, em vez da Comunicação de Acidentes de Trabalho (CAT). A adoção da CAT poderia contribuir para o aumento da subnotificação da ocorrência pela empresa, explica o secretário de Previdência Social, Helmut Schwarzer.

A flexibilização dessas alíquotas deverá estimular o desenvolvimento econômico do País, por meio da redução de custos e fomento ao trabalho saudável, avalia Schwarzer.

Estima-se que a ausência de segurança no trabalho, no Brasil, tenha gerado, em 2003, custo de R$ 32 bilhões ao país, incluindo o pagamento de benefícios previdenciários, de R$ 8,2 bilhões, além dos gastos com assistência médica ao acidentado, indenizações, retreinamento, reinserção no mercado de trabalho, e horas de trabalho perdidas.

As informações são do Ministério da Previdência Social.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 28 de Maio de 2017
Sábado, 27 de Maio de 2017
10:00
Receita do Dia
Sexta, 26 de Maio de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)