Cassilândia, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

Últimas Notícias

04/05/2016 13:30

Apenas produção de remédio, fumo e celulose cresce no 1º tri, aponta IBGE

EPharma Notícias

A produção industrial caiu 11,7% no primeiro trimestre sobre um ano antes, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A exceção, no período, ficou por conta da atividade de fabricação de fumo, papel e celulose e medicamentos.

De acordo com os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) do IBGE, o avanço na categoria de produtos do fumo (+31,3%), que inclui cigarros e fumo processado, é reflexo da base de comparação mais fraca e ao incremento nas exportações no período de janeiro a março.

"Já a categoria de produtos farmoquímicos e farmacêuticos assinalou a segunda alta consecutiva na comparação anual, mas vem apresentando comportamento predominantemente negativo nos últimos meses. Embora no acumulado do ano a atividade apresente alta também em função da menor base de comparação, a leitura continua negativa ", disse o gerente da coordenação de indústria do IBGE, André Macedo.

O levantamento mostrou alta de 0,9% na produção de farmacêuticos no acumulado dos três primeiros meses frente a 2015. Macedo explicou que a atividade, assim como toda a indústria de bens de consumo, continua pressionada pela conjuntura negativa da economia doméstica - diminuição da renda das famílias, alta da inflação e da inadimplência.

A atividade em celulose, papel e produtos de papel teve expansão de 1,7% no trimestre, mesmo com cenário mais difícil para esse mercado. As principais companhias do setor relataram dificuldades na exportação de celulose para o mercado asiático, um dos principais destinos dos embarques, nos primeiros meses do ano. No entanto, em abril as empresas disseram ter retomado o ritmo de vendas e esperam números melhores nos meses seguintes.

As maiores quedas no trimestre, segundo o IBGE, foram registradas em equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-34,7%), veículos automotores, reboques e carrocerias (-27,8%) e máquinas e equipamentos (-23,7%), mantendo a tendência dos últimos trimestres.

"Os números da indústria continuaram ruins nos meses seguintes, tomando como base o que vemos agora. Os indicadores de emprego e confiança, que são mais imediatos, não mostram uma mudança no cenário que possa ter impacto na demanda", observou o economista-chefe da corretora Nova Futura, Pedro Paulo Silveira.

Na comparação com igual mês do ano passado, a produção industrial apresentou recuo de 11,4% em março.

Perspectiva

Todas as grandes categorias econômicas - bens de capital (-28,9%), bens intermediários (-10,3%) e bens de consumo (-9,8%) - apresentaram queda no trimestre, destacou o IBGE.

"Para confrontos que envolvem 2015, todo o perfil da atividade permanece com recuo no início de 2016, mantendo a característica de queda disseminada. Em magnitude, o destaque negativo das grandes categorias continua sendo bens de capital e duráveis", lembrou André Macedo.

Para o economista do IBGE, a leva melhora vista na passagem de fevereiro para março em todas as grandes categorias é pontual e não significa uma melhora efetiva na atividade. Na comparação com o mês imediatamente anterior, a produção de bens de capital cresceu 2,2%, acima da média geral da indústria (+1,4%).

"O desempenho positivo de março ficou concentrado na indústria de transformação, com alta de 1,7% ante fevereiro. A indústria extrativa, por sua vez, voltou a recuar em março (-0,9%) e, com isso, acumula contração relevante de 14% nos últimos cinco meses, influenciada, especialmente, pelo rompimento da barragem de rejeitos de mineração em Mariana (MG). O desempenho positivo disseminado entre os setores da indústria em março, no entanto, foi pouco representativo frente à queda de produção acumulada em todos os segmentos da indústria", detalhou a equipe do economista chefe do banco Safra, Carlos Kawall, em relatório.

Na avaliação de Silveira, da Nova Futura Corretora, a melhora nos indicadores na base mensal da PIM é um ponto fora da curva de tendência observada no setor industrial. "Acredito que em algum momento deste ano possamos bater o mínimo [da atividade da indústria], mas é difícil estabelecer o gatilho para isso acontecer e em qual mês esse ponto será atingido", afirmou ele.

O economista projeta queda de 0,20% no Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre de 2016, refletindo o comportamento da indústria. Já no último trimestre do ano, o PIB pode ter alta de 0,30%, com a indústria atingindo o mínimo entre esse período. Mas Silveira disse não apostar que a interrupção das quedas leve a uma retomada consistente da atividade produtiva no País.

"A indústria acumula contração de 9,7% em doze meses até março deste ano. O resultado é o pior desde outubro de 2009. O panorama segue muito ruim e tudo indica que o PIB no período registrará quedas semelhantes ao observado no último trimestre de 2015", destacaram os economistas do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves e Julia Araújo, em relatório sobre a PIM.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 30 de Março de 2017
Quarta, 29 de Março de 2017
20:34
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)