Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

09/03/2008 15:08

Angolano é preso com "dólares pretos”; golpe seria no MT

Nadyenka Castro/Campo Grande News

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) prendeu na madrugada deste domingo na BR-163 em Jaraguari, a 46 quilômetros de Campo Grande, o angolano Leopoldino Henriques da Conceição, 30 anos.

Ele foi flagrado com 33 mil cédulas de “dólares pretos” durante fiscalização em um ônibus da empresa Andorinha. Lepoldino disse aos policiais que havia saído de São Paulo com destino a Cuiabá, Mato Grosso, onde a entregaria a uma pessoa desconhecida.

Declarou ainda que o golpe do “dólar preto” seria aplicado em Rondonópolis e que mora a mais de um ano em São Paulo e quem tem visto no Brasil.

Os policiais suspeitaram do angolano e revistaram a bagagem dele, onde foi encontrada em uma grande bolsa uma caixa retangular com tampa chaveada. Dentro da caixa haviam 33 mil papéis pretos pouco maior que o tamanho de cédulas.

Também havia com suposto reagentes químicos e supostamente timbradas do governo americano. O reagente seria utilizado para tirar a tinta preta sobre o dinheiro e no papel timbrado informações, uma espécie de manual para a limpeza das notas.

No papel timbrado há ainda uma espécie de atestado de que o governo americano adotasse esta prática de pintar dinheiro para encaminha-los sem chamar a atenção para países, geralmente africanos.

No teste realizado preliminarmente pela PRF com aplicação do “reagente”, nas quatro primeiras notas a tinta preta saiu, sendo constatados dólares verdadeiros. As demais supostas cédulas são apenas papéis pretos.

Golpe - O golpe do “dólar preto” é quase sempre explicado ás vítimas da mesma maneira. O golpista diz que tem determinada quantia em dólar e gostaria de vender. Geralmente o preço é bem abaixo do valor supostamente existente.

Eles dizem que os papéis pretos são uma remessa do governo americano para a África ou aliados, produzido desta forma para não chamar a atenção, sendo que com a aplicação de um produto químico se transforma em dólar.

Os golpistas colocam algumas notas verdadeiras para fazer o teste na presença das vítimas para convence-las de que se trata de um ótimo negócio.

Geralmente ainda falam que as vítimas têm o prazo de 72 horas para a aplicação do reagente químico sob pena de se perder o efeito, e que teriam muitas maletas não tendo como se desfazer delas em um curto espaço de tempo, motivo pelo qual estariam vendendo-a.

O formato diferenciado das maletas, o pó branco misturado às notas pretas também são componentes da dar sensação de realidade ao golpe.

O angolano foi encaminhado à Polícia Federal em Campo Grande junto com o material apreendido.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)