Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/11/2007 12:43

Aneel prevê nova tarifa para a Enersul em abril de 2008

Marta Ferreira - Campo Grande News

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) nem resolveu o que será feito em relação ao erro identificado nas informações prestadas pela Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) para a revisão tarifária de 2003 - descoberto só este ano - mas já prepara, desde julho, a recomposição nas tarifas para 2008. O consumidor pode se preparar: no dia 8 de abril do próximo ano, começa a vigorar o reajuste diferenciado nas tarifas, concedido a cada cinco anos às empresas privatizadas do setor. No processo anterior, o percentual chegou a 42%.

O cronograma estabelecido pela Aneel informa que a Enersul teve prazo até 24 de setembro para fornecer à agência as informaçãos que vão servir de base para a revisão de 2008. Na semana que vem, estão previstas reuniões entre diretores da empresa e da Aneel e também com o Conselho de Consumidores da Enersul, em separado. O Conselho informou ontem que está contratando uma consultoria para acompanhar o processo, para evitar o que ocorreu em relação a 2003, ou seja, a descoberta de que ela pode ter se baseoado em dados errados, constatação feita quase cinco anos depois pela própria Aneel.

Discussão pública - A agenda da revisão tarifária prevê que em dezembro a Enersul apresente sugestões à proposta de revisão que será discutida publicamente, primeiro pela internet, no mês de janeiro, e depois em audiência pública, que deverá ocorrer em Campo Grande. As regras prevêem que, como haverá a recomposição tarifária, não haverá o reajuste anual.

Na justiça - Será a segunda revisão tarifária da Enersul, privatizada em 1997. Na revisão de 2003, o reajuste de 42% foi dividido em duas etapas, de 32% e 10%. À época, o aumento suscitou uma briga judicial, com pedido para que fosse suspenso ou reduzido, em ação que tramita até hoje.

São partes do processo, como autores, o MPF (Ministério Público Federal) e a Abccon (Associação Brasileira de Cidadania e Consumidor). Os réus são a Aneel e a Enersul. A ação tramita na Justiça Federal e não tinha avançado até esta semana, quando o juiz responsável, Pedro Pereira dos Santos, marcou para 29 de novembro a primeira audiência no processo.

No mesmo despacho, o juiz exclui a Abccon do processo e inclui a Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) como ré. A advogada da Abccon, Michelle Dibo, disse não ter entendido ainda o motivo da exclusão da entidade no processo. Segundo ela, como não houve intimação da decisão, vai pedir que seja reaberto prazo para a entidade se manifestar e também a remarcação da audiência, para que a Abccon possa estar presente.

Segundo ela, a entidade é parte legítima e tem direito a continuar figurando como autora da ação. Caso a decisão seja negativa, a advogada diz que a Abcon pedirá para figurar como assistente no processo, mesma medida que já foi adotada pela Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul).

Michele Dibo informou que outro pedido é para que seja apreciada, com urgência, a petição apresentada mês passado, ao juiz, para avaliar o pedido de liminar suspendendo o reajuste de 2003. O pedido foi feito depois do resultado da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Assembléia Legislativa de MS, que conseguiu da Enersul a redução de 3,014% da tarifa, e também da divulgação da divulgação pela Aneel de que a revisão de 2003 foi feita a partir de informações erradas.

Sobre esse erro, a Aneel informou que ainda está analisando o que deverá ser feito. Para defensores dos direitos dos consumidores, a empresa deve será obrigada a devolver os valores cobrados a mais, em dobro, como prevê O Código de Defesa do Consumidor.

A Enersul abastece 73 dos 78 municípios de Mato Grosso do Sul e tem mais de 700 mil clientes no Estado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)