Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/11/2004 16:21

Aids: estudantes do ensino médio têm bom conhecimento

Agência Notisa

De acordo com estimativas do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), no ano de 1999, 15 mil pessoas foram infectadas pelo HIV — vírus da Aids — por dia em todo o mundo, sendo que 50% delas tinham menos de 24 anos de idade. No Brasil, estimativas indicavam que meio milhão de pessoas estavam infectadas pelo HIV em 2000. Outros dados apontam a cidade do Rio de Janeiro como a que apresenta o segundo maior número absoluto de casos, no Brasil, com os adolescentes e jovens representando 13% desses casos. Como a população jovem ocupa um lugar de destaque no que se refere à quantidade de pessoas infectadas pelo vírus, pesquisadores da Fundação Técnico-Educacional Souza Marques, da Universidade Gama Filho e da Universidade Federal do Rio de Janeiro, realizaram um estudo com estudantes do segundo grau.

Segundo artigo publicado na edição de jan./fev. de 2003 da revista Cadernos de Saúde Pública, o objetivo da pesquisa foi o de verificar o conhecimento dos estudantes sobre doenças sexualmente transmissíveis, em particular a AIDS, analisar seu comportamento sexual e investigar como eles obtêm informações sobre o assunto. Para tanto, os pesquisadores aplicaram um questionário anônimo a 945 estudantes de quatro escolas particulares e seis escolas públicas, localizadas em diferentes locais da cidade. Eles também fizeram perguntas sobre as características sócio-demográficas dos alunos.

A equipe afirma que 53% dos estudantes eram do sexo feminino e 47% do sexo masculino, com média de idade de 16 anos. Cinqüenta e quatro por cento eram de escola particular e 46% de escola pública. A maior parte possuía renda familiar mediana. Com relação ao conhecimento dos alunos sobre doenças sexualmente transmissíveis, os pesquisadores constataram que todos os alunos já tinham ouvido falar de Aids, 89% tinham conhecimento sobre gonorréia, 65% sobre sífilis e apenas 63% sobre herpes genital. Sobre Aids, os estudantes demonstraram ter mais informações, ou seja, um conhecimento satisfatório.

Entretanto, a equipe observou várias atitudes de risco com relação ao comportamento sexual dos secundaristas. “Apesar de 94% terem declarado saber que a camisinha protege contra a transmissão da AIDS, apenas 34% afirmaram usar camisinha sempre”, dizem os pesquisadores no artigo. Além disso, dos que relataram já ter tido relações sexuais com homens ou mulheres de programa, 19% confessaram não ter usado o preservativo. Para a equipe, o menor uso do preservativo está relacionado a três fatores: baixa renda familiar, falta de aulas sobre o assunto na escola e ausência de diálogo com os pais. Em contraste, dos alunos que relataram ainda não ter tido relação sexual, 79% afirmaram que têm a intenção de usar camisinhas no futuro. O meio mais comum de obtenção de informações sobre o assunto foi a televisão (97%).

Para aumentar a conscientização dos alunos, os cientistas ressaltam a importância da informação e do diálogo aberto entre pais e filhos e entre os estudantes e suas escolas. “O currículo dos colégios deve incluir educação sexual formal”, sugerem no artigo. E acrescentam: “os programas de educação sexual, que têm por objetivo encorajar práticas seguras de sexo, devem atingir, também, adolescentes de baixa renda”.

Agência Notisa (jornalismo científico - science journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)