Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/02/2005 16:41

Aftosa: missão australiana vem ao Brasil

Acrissul

O ministro da Agricultura da Austrália, Warren Truss, disse anteontem (15/2) que a compra de 500 kg de carne brasileira realizada no final de 2004 não é uma ameaça ao status de área livre da doença que a indústria australiana de gado e ovelha. "A carne importada, com certificação, era proveniente de áreas livres da febre aftosa. E, por isso, o embarque não causou riscos ao status de área livre da doença concedido ao rebanho australiano", disse Truss.

O ministro também anunciou uma revisão do programa de importação. Por isso, representantes do governo australiano irão visitar o Brasil entre março e início de maio para avaliar a efetividade das medidas de segurança contra a febre aftosa no país.

A Austrália está entre os maiores exportadores mundiais de carne, particularmente para os EUA e Japão, e sua indústria precisa manter o status de área livre. O Conselho de Gado da Austrália, um grupo de criadores, representantes do governo e do partido de oposição questionaram sobre a compra da carne brasileira.

Gavan O'Connor, do partido trabalhista, disse que o produto foi importado do Brasil sem o conhecimento do escritório de veterinária australiano e sem uma prévia avaliação de risco. O ministro da Agricultura, rebateu a crítica. Segundo Truss, a compra foi aprovada pelo Serviço de Inspeção e Quarentena da Austrália. Por isso, uma vez aprovada pelo serviço não é necessário notificar o escritório veterinário ou agência de biossegurança da Austrália, disse o ministro.

A preocupação quanto a doença surgiu quando, em 24 de dezembro, o Brasil anunciou um caso suspeito de febre aftosa em uma propriedade no norte do país. No dia 7 de janeiro, disse o ministro, o governo brasileiro comunicou à Austrália que o produto exportado não era proveniente da região. Mesmo assim, a Austrália suspendeu as importações de carne in natura do Brasil. Segundo ele, a carne brasileira foi rastreada e destruída. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Ag. Estado


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)