Cassilândia, Domingo, 21 de Outubro de 2018

Últimas Notícias

02/08/2018 10:40

Acessibilidade ainda é desafio para 11,9 mil eleitores com deficiência

Correio do Estado

 

Mato Grosso do Sul tem 1.877.982 eleitores aptos a votar, dos quais 6,5% são deficientes, o que representa 11.945 cidadãos. Com a aproximação do pleito eleitoral, realizado no dia 7 de outubro, uma preocupação recorrente é motivo de reclamação para o público, já que as 2.208 seções em funcionamento na Capital não estão totalmente adaptadas para receber pessoas com necessidades especiais ou que tenham algum tipo de deficiência.

Os números foram atualizados e divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nesta quarta-feira (1º de agosto), sendo que o total destes eleitores possuem os seguintes tipos de deficiência: 5.840 pessoas com deficiência de locomoção, 1.916 com deficiência visual, 1.247 deficiência auditiva, dificuldade para exercer o voto, 206 pessoas e outros, 4.495 pessoas.

Na avaliação da presidente da Associação de Mulheres com Deficiência de Campo Grande (AMDEF), Mirella Tosta, apesar de melhorias estruturais construídas para proporcionar acessibilidade aos cidadãos, falta mudar a questão cultural da sociedade.

"A maior parte do que é feito no quesito acessibilidade é 'mais ou menos', ou seja, para cumprir tabela. Verificamos locais que colocam uma rampa e acreditam que estão oferecendo condições para que as pessoas com deficiência de locomoção, por exemplo, transitem. O que nós queremos é autonomia pra ir e vir, como qualquer cidadão", reforça.

Mirella destaca que a falta de acessibilidade não é sentida somente no período de eleições, mas diariamente. "Gosto de utilizar um jargão popular da minha mãe, vivemos uma 'luta sem quartel'. Muitos deficientes enfrentam a limitação de acesso dentro da própria casa, então é definitivamente uma questão de educação e cultura", complementa.

SEÇÕES ELEITORAIS

Mato Grosso do Sul tem 367 escolas estaduais que funcionam como seções eleitorais no período de votação, deste total, mais de 200 foram reformadas e contam com acessibilidade, informou a assessoria da Secretaria Estadual de Educação (SED). No entanto, em Campo Grande que soma pelo menos 120 unidades, uma das escolas apresenta problemas de acessibilidade que foram apontados por um eleitor cadeirante.

Trata-se da escola estadual Sebastião Santana de Oliveira, na qual os eleitores que necessitam de espaços adaptados enfrentam situações de desconforto. É o caso do servidor público, Nelson Tosta, 57 anos, que durante muito tempo morou no bairro e mesmo após ter mudado para o Santo Amaro não transferiu o título, pois, aproveita para visitar amigos e as filhas adultas que continuaram a mora na localidade.

"Que eu me lembre, de quatro eleições para cá que construíram uma rampa, porém, com problemas estruturais e fora dos padrões previsto em legislação. Quando adentramos a instituição comprovamos que a acessibilidade se restringe à entrada, pois, para passar de um bloco para outro é preciso tranpor escadas e não consigo fazer essa ação sozinho", observa.

No entendimento de Tosta, ainda há muita falta de boa vontade do poder público em melhorar as condições estruturais e cita como exemplo, um programa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que prevê a transferência do local de votação para eleitores com deficiência ou dificuldade de locomoção.

 "Aqui surge outra dificuldade, pois, o prédio mais bem localizado e com melhor acessibilidade, principalmente para cadeirantes, é a sede do Sebrae/MS na avenida Mato Grosso. Porém, muitos eleitores necessitam utilizar duas conduções (adaptadas) para chegar no endereço. Na minha opinião é falta de interesse que precisa ser tratado com mais atenção", finaliza.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 21 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do Dia
Sábado, 20 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do Dia
Sexta, 19 de Outubro de 2018
09:00
Santo do Dia
04:16
Cassilândia
Quinta, 18 de Outubro de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)