Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/06/2016 14:00

Criptorquidia: o que fazer quando o testículo não está na bolsa escrotal?

Abc Med

Normalmente os testículos são formados no interior do abdômen e nos últimos meses da vida intrauterina migram (descem) para a bolsa escrotal, passando pelo canal inguinal. Chama-se criptorquidia (do grego: cripto = caverna, esconderijo; orquis = testículo) à situação em que um dos testículos ou ambos ficam retidos em algum ponto do trajeto que deveriam percorrer. Trata-se de uma das anomalias genitais mais comuns em meninos.
Quais são as causas da criptorquidia?

O caminho de migração dos testículos pode ser obstruído por hérnias ou malformação do abdômen inferior. É comum a criptorquidia em bebês prematuros e ela também ocorre em 3 a 4% dos bebês nascidos a termo. Quanto mais prematuro o bebê, maior será a chance de que apresente criptorquidia.
Quais são os principais sinais e sintomas da criptorquidia?

Em geral a criptorquidia não apresenta sintomas, a não ser que o testículo abdominal apresente alguma complicação, como infecção, por exemplo. A retenção dos testículos no interior do abdômen pode inviabilizar a produção de espermatozoides, provocando infertilidade, sobretudo quando os dois testículos são afetados, porque eles precisam estar 1 a 1,5°C abaixo da temperatura corpórea, o que só conseguem na bolsa escrotal. Na criptorquidia, os testículos são mais propensos a lesões ou torção testicular.
Como o médico diagnostica a criptorquidia?

O diagnóstico do criptorquidia deve ser feito por um exame direto de palpação da bolsa escrotal, assim que a criança nasce, a qual constatará, se for o caso, a ausência dos testículos. Um diagnóstico diferencial deve ser feito com o testículo retrátil. Neste caso, os testículos atingem sem dificuldades a bolsa escrotal, mas se retraem graças a uma ação exacerbada do músculo cremaster. Essa situação em geral não requer nenhuma intervenção médica e se corrige sozinha até a puberdade. Outra situação que deve ser diferenciada da criptorquidia é a anorquia (ausência congênita de testículo) que só pode ser constatada no momento da operação.
Como o médico trata a criptorquidia?

Se no exame inicial os testículos não estiverem presentes na bolsa escrotal e se encontrarem retidos em algum ponto do trajeto que deveriam fazer, a conduta deve ser de observação, durante um ano, um ano e meio, porque nesse prazo eles ainda podem migrar naturalmente. Caso contrário, a anomalia deve ser logo corrigida para preservar a função germinativa. Se os testículos ficarem retidos no abdômen e submetidos à temperatura do seu interior eles podem sofrer danos e não produzir espermatozoides, além de favorecer o aparecimento de neoplasias.

A gonadotrofina coriônica administrada por via venosa auxilia o amadurecimento e a migração dos testículos, mas na maioria das vezes o tratamento deve ser uma cirurgia para liberá-los de aderências que os estejam retendo e permitir que eles atinjam a bolsa escrotal. Se houver impossibilidade de levar o testículo até a bolsa escrotal, o melhor é retirá-los para evitar consequências graves.
Como evolui a criptorquidia?

A maioria dos casos de criptorquidia se resolve espontaneamente. A correção cirúrgica na maioria das vezes tem êxito.

Em cerca de 20% dos casos os testículos “descem” por si sós nos primeiros três ou quatro meses de vida.
Quais são as complicações possíveis da criptorquidia?

A criptorquidia é uma das causas importantes de esterilidade masculina e favorece o desenvolvimento de neoplasias, mesmo depois que a criptorquidia seja corrigida.

Uma complicação rara da cirurgia que visa corrigir a criptorquidia, chamada orquidopexia, se verifica quando o testículo movido retorna para o abdome, levando a outra cirurgia.

Em casos raros o testículo pode perder sua irrigação sanguínea e então ele se torna apenas um tecido cicatricial.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)