Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 19 de Abril de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Sem quantidade definida, MS recebe novas doses de vacina contra Covid-19 terça

Ministério da Saúde ainda deve definir quantitativo para as federações até esta quinta-feira (17)

Midiamax - 18 de fevereiro de 2021 - 05:20

Sem quantidade definida, MS recebe novas doses de vacina contra Covid-19 terça

Mato Grosso do Sul receberá novas doses de vacina contra a Covid-19 na próxima terça-feira (23), informou o secretário de Saúde, Geraldo Resende. Ainda não há uma quantidade definida para ser destinada ao Estado e Ministério da Saúde deverá definir até esta quinta-feira (18).

Conforme informou o secretário, o Governo Federal irá enviar um novo cronograma de quantitativo às federações entre hoje e amanhã, definindo as doses exatas que cada um deverá receber. Ainda não se sabe se as vacinas serão do Butantan/CoronaVac ou da Oxford/AstraZeneca.

“Sabemos da dramaticidade do Estado do Amazonas que deverá receber 5% deste quantitativo anunciado, mas não sabemos o quanto será enviado para os demais estados”, pontua o secretário.

Mato Grosso do Sul já recebeu 222.746 doses, em quatro carregamentos enviados pelo Ministério da Saúde. A primeira remessa chegou no dia 18 de janeiro, com um lote de 158,7 mil doses da vacina Coronavac.

O segundo lote desembarcou no Estado em 24 de janeiro, com 22 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford. Já o terceiro lote chegou ao Estado em 25 de janeiro, em um reforço de mais 10,2 mil doses da Coronavac. A quarta remessa com 32 mil doses de vacina contra a Covid-19 foi entregue ao Governo do Estado no dia 7 de fevereiro.

Ritmo de vacinação em MS
Até a manhã desta quarta-feira (17), o Estado já havia aplicado 125.115 doses. Como já começou a aplicação da 2ª dose, no total, foram 97.955 pessoas imunizadas em MS.

Desses, 43.902 são profissionais da saúde, 27.708 são indígenas que vivem em aldeias, outros 24.234 são idosos a partir de 80 anos, tem 1.921 pessoas acima de 60 anos e trabalhadores em asilos e 190 deficientes que vivem em instituições.