Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 19 de Abril de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Polícia Civil prende suspeito de fraudes para abertura de contas bancárias

Fonte: Polícia Civil do Estado de Goiás

Redação - 24 de outubro de 2020 - 15:00

Polícia Civil prende suspeito de fraudes para abertura de contas bancárias

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), prendeu em flagrante, na tarde dessa quinta-feira (22), um indivíduo suspeito da prática dos crimes de estelionato tentado e falsidade ideológica.

Conforme apurado, o indivíduo foi preso quando tentava abrir uma conta bancária utilizando documentos e fornecendo dados falsos. Na ocasião, a equipe de investigadores do GREF/DEIC foi informada sobre a suspeita da tentativa de fraude e, ao checar a veracidade das informações, constatou que os documentos apresentados e os dados fornecidos por ele eram falsos. Em seguida, após algumas diligências, o suspeito foi identificado como W.P.S, 34 anos, o qual já possui passagens policiais pelos crimes de uso de documentos falsos, falsidade ideológica e estelionato tentado. Além disso, há informações de que outras contas bancárias foram abertas por ele com documentos e dados falsos, sendo que, em uma delas, o prejuízo supera o valor de R$ 200.000,00.

As investigações continuam e a Polícia Civil pede que, caso alguma vítima identifique o suspeito em outros crimes, que procure o GREF/DEIC para orientações e providências. Denúncias anônimas também podem ser feitas pelo telefone 197. O preso foi recolhido na Delegacia Estadual de Capturas (DECAP) e, após a comunicação de sua prisão, passará à disposição da Justiça. Já o inquérito policial deve ser concluído em dez dias.

A divulgação da imagem e identificação do preso foi procedida nos termos da Lei n.º 13.869/2019, Portaria n.º 02/2020 – PC e Despacho do Delegado de Polícia responsável pela investigação, especialmente porque o autuado utiliza documentos falsos para a prática dos crimes, sendo conhecida sua imagem retrato, porém com dados de identificação falsos e a publicidade visa o surgimento de novas vítimas e testemunhas dos crimes.