Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sexta, 23 de Abril de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Descobrir um nódulo no pulmão é grave?

Fonte: Vida Saudável - O Blog do Einstein

Redação - 03 de dezembro de 2020 - 11:00

Descobrir um nódulo no pulmão é grave?

O nódulo pulmonar é um achado relativamente frequente nos exames de imagem, em especial a tomografia. Felizmente, na maioria das vezes tem uma causa benigna, ou seja, pode ser uma cicatriz de uma doença curada no pulmão, algum tipo de inflamação ou infecção mantida em um lugar delimitado para defender o resto do organismo. O contato com pessoas com tuberculose pode gerar uma reação e daí surgir um nódulo, por exemplo.

Os nódulos que têm aspecto benigno (e isso somente o especialista pode avaliar) podem ser acompanhados por um período, sem a necessidade de biópsia – principalmente quando não existem sintomas, o que é o mais comum de acontecer: nódulo no pulmão geralmente não dói.

Fumantes ou ex-fumantes
Em pessoas que fumam ou fumaram por muito tempo, o achado de um nódulo pulmonar é mais preocupante, pois pode representar um câncer no pulmão. Em 90% das vezes que diagnosticamos o câncer de pulmão, a pessoa é ou foi fumante.

O nódulo em pessoas que foram tratadas ou possuem câncer em outras partes do corpo pode representar uma metástase pulmonar – a mesma doença manifestada em outro lugar.

Rastreamento dos nódulos
Nos Estados Unidos, recentemente foi divulgado um estudo no qual mais de 50 mil pessoas fumantes foram acompanhadas com tomografia ou raio-X anual com a intenção de detectar o câncer de pulmão precocemente, tal como a mamografia.

Os resultados mostraram uma redução importante na mortalidade por câncer de pulmão, sendo essa melhora superior a 20%. O câncer de pulmão encontrado na fase de nódulo pulmonar é curável com a cirurgia em mais de 70% das vezes. Técnicas cirúrgicas minimamente invasivas (inclusive a robótica) permitem o diagnóstico e o tratamento dos nódulos pulmonares com segurança e mínima dor.

No estudo “ProPulmão”, recentemente realizado no Hospital Israelita Albert Einstein sob a coordenação do Dr. Ricardo Sales dos Santos foram identificados nódulos pulmonares em cerca de 40% dos participantes fumantes ou ex-fumantes; contudo, apenas 3% dos pacientes tiveram a necessidade de biópsia, indicando que na maioria das vezes a conduta é realizar o acompanhamento com novas tomografias.

As pessoas que fumam por mais de dez anos devem, em primeiro lugar, tentar a todo custo parar de fumar e procurar o seu médico para a investigação dos males relacionados ao cigarro (incluindo, é claro, as doenças do coração).

Ter um nódulo pulmonar não é grave. O problema é não saber o que fazer com ele. Mas pode ficar tranquilo(a), pois já existem protocolos médicos que ajudam a acompanhar com segurança a retirada do nódulo – quando há suspeita de doença grave.

O especialista em tórax (cirurgião do tórax ou pneumologista) é quem deve avaliar a situação de forma abrangente para encontrar a melhor solução, integrada com outros especialistas (radiologista, infectologista, oncologista, patologista etc.).

A melhor forma de tratamento do câncer continua sendo a sua prevenção e o diagnóstico precoce.

Por Dr. Ricardo Sales dos Santos, cirurgião torácico do Hospital Israelita Albert Einstein / CRM SP 85436