Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quinta, 30 de Novembro de 2023
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Polícia

Menina de 11 anos é internada depois de ser agredida pela tia em cidade de MS

Testemunhas disseram que agressões são constantes e mulher foi presa pelo crime de tortura

Midiamax - 18 de novembro de 2023 - 09:30

Menina de 11 anos é internada depois de ser agredida pela tia em cidade de MS
Mulher foi presa em flagrante (Foto: Divulgação Polícia Civil)

Uma mulher, de 41 anos, foi presa na quinta-feira (16), suspeita de torturar a sobrinha, de 11 anos, em uma cidade localizada ao sudoeste de Campo Grande. Conforme denúncia apresentada à polícia local, a menina sofre de depressão e ansiedade e foi internada depois de ser agredida pela tia.

Conforme a Polícia, as agressões começaram depois que a tia ouviu rumores de que a menina teve relações sexuais com um dos vizinhos. Na última quarta-feira (15), ela e a criança foram à casa da família do rapaz para falar sobre o caso, porém, a tia e a menina se desentenderam.

Na volta para casa, a mulher teria batido na menida com cintadas e puxões de cabelo. A menina sofreu uma crise e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e teve que passar a noite no Hospital. O Conselho tutelar foi acionado e o boletim de ocorrência foi registrado.

À polícia, a criança - que apresentava marcas de violência - disse que sofre agressões constantes. Ela também relatou que é responsável pelos serviços domésticos e que é castigada quando não conclui as tarefas. Ela também cuida de um bebê de o meses, filho da tia, com quem ela mora.

Testemunhas contaram que durante as agressões a mulher teria dito que a menina deveria cometer suicídio e confirmaram que a criança é agredida e xingada constantemente pela tia. Vizinhos também disseram que a criança dorme em um colchão na sala, tem poucas peças de roupas e não recebe produtos de higiene adequados, usando apenas sabão de coco para lavar os cabelos.

Durante diligências, a mulher foi presa em flagrante pelo crime de tortura. A criança ficou com o Conselho Tutelar.

SIGA-NOS NO Google News