Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 15 de Maio de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Zeca quer acabar com a pesca pedratória

01 de maio de 2003 - 09:17

O governador Zeca do PT pediu ontem ao ministro interino do Meio Ambiente, Cláudio Langoni, secretário executivo do ministério, o apoio do governo federal para a abertura de um processo de diálogo com o governo do Paraguai destinado a coibir a pesca predatória nos rios Apa e Paraguai. Pescadores paraguaios utilizam redes, espinhelas e até bombas para a pesca na região. Segundo o governador, as medidas de proteção , que podem surgir através de um acordo entre os governos dos dois países , são necessárias para eliminar a ameaça que paira sobre os estoques de peixe na região do Pantanal se a pesca predatória continuar.

Durante a audiência, Zeca do PT mostrou também um levantamento fotográfico e estudos técnicos sobre o malha ferroviária entre Campo Grande e Corumbá para demonstrar que para a implantação do Trem do Pantanal, projeto fundamental para o incremento do turismo contemplativo em toda a região, é preciso apenas a recuperação da estrada de ferro já construída pela Noroeste do Brasil. “Não é necessário fazer novos trilhos. É só recuperar a rede já existente”, explicou o governador, que quer o apoio do governo federal para a implantação do projeto o mais rápido possível. Zeca do PT também pediu o apoio do ministério para a superação dos entraves burocráticos necessários à implantação do Programa Pantanal.

O governador quer uma parceria com os órgãos federais para promover uma mudança de cultura na questão da pesca em Mato Grosso do Sul. “Não se trata de proibir por proibir. É preciso criar mecanismos de substituição à pesca comercial e profissional”, afirmou o governador. Ele é favorável que apenas a população ribeirinha, que usa a pesca como sustento, seja mantida na atividade. O governo do Estado já vem incentivando a implantação gradativa do turismo contemplativo, uma alternativa à pesca turística, cujas cotas de retirada estão sendo reduzidas anualmente para, até 2005, se chegar a apenas um exemplar por espécie. “As pessoas não precisarão atravessar o pantanal para levar peixe. Ele poderão visitar a região para praticar o turismo contemplativo. É esse o debate que pretendemos fazer”.

Zeca do PT pediu também a ajuda do Ministério do Meio ambiente para a implantação de um programa de prevenção às queimadas na região do pantanal. “Queremos nos antecipar e coibir ao máximo as queimadas. Quem conhece o Pantanal sabe que quando chegar o período (setembro) as queimadas vão acontecer. É preciso prevenir”, afirmou. Fonte: Agência Popular - Vasconcelo Quadros

SIGA-NOS NO Google News