Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quarta, 8 de Dezembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Zeca achou produtiva viagem à Argentina

Agência Popular - 26 de maio de 2003 - 14:49

O governador Zeca do PT avaliou como produtiva sua viagem à Argentina, na comitiva do presidente Lula, para a posse do novo presidente argentino Néstor Kirchner, que assumiu no lugar de Eduardo Duhalde. O governador Zeca integrou a comitiva presidencial sábado à noite, em Porto Alegre, juntamente com o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), que é presidente do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul).
O governador Zeca aproveitou a viagem à Argentina para falar com o presidente Lula sobre as metas do seu governo e o alcance de programas estratégicos que buscam a integração física e econômica do Estado e sua importância para o intercâmbio comercial entre os países da América do Sul, especialmente do Mercosul (Mercado Comum do Cone Sul) e região andina. Para Zeca, o bloco vai se fortalecer com a nova relação entre Brasil e Argentina.
Zeca do PT analisa que Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina têm papel fundamental no processo de integração e fortalecimento do Mercosul. Durante a visita à Argentina, segundo Zeca, seu colega Germano Rigotto, agendou para a primeira quinzena de junho reunião entre os governadores do Codesul e de seis províncias argentinas para discutir o estreitamento das relações comerciais na região.
Sábado à noite, à véspera da posse do presidente argentino, Zeca do PT, Germano Rigotto, o presidente do Senado, José Sarney, o embaixador do Brasil na Argentina, José Botafogo Gonçalves, e o ministro das Cidades, Olívio Dutra, jantaram com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Lula se mostrou muito otimista quanto ao novo momento político da Argentina e também quanto ao processo de recomposição da economia”, afirmou Zeca. A seu ver, há perspectiva de o Mercosul se ampliar e é fundamental para o fortalecimento do bloco o ingresso da Bolívia e do Chile.

SIGA-NOS NO Google News