Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 27 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Tuma deve ouvir terça-feira jardineiro vizinho

Ana Paula Marra/ABr - 19 de abril de 2006 - 18:10

O corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma (PFL-SP), pretende ouvir na próxima terça-feira (25) o jardineiro Leonardo José de Moura, na tentativa de avançar nas investigações sobre a quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.

O jardineiro trabalha na casa da jornalista Helena Chagas, do jornal O Globo, que é vizinha à mansão - alugada por ex-assessores de Antonio Palocci - em que o caseiro prestou serviços durante muitos anos.

Tuma quer saber de Leonardo se Francenildo Costa teria lhe contado que recebera dinheiro de seu pai e se ele (Leonardo) teria comentado sobre esse dinheiro com seus patrões, a jornalista Helena Chagas e o marido.

O corregedor também quer ouvir a jornalista e o seu marido para saber se ela repassou a possível informação que recebera do jardineiro ao senador Tião Viana (PT-AC), que, por sua vez, poderia ter comunicado o fato ao então ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Por isso, Helena e seu marido também deverão ser ouvidos na Corregedoria do Senado na próxima terça-feira. O horário ainda não foi marcado.

Conforme destacou o senador, será importante o depoimento dos três na Corregedoria para saber se a partir deste episódio poderia ter surgido a idéia de se quebrar o sigilo bancário de Francenildo Costa.

"Quero ouvir os três porque o jardineiro foi o foco onde o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) fez nascer toda essa denúncia do caminho que se percorreu até a violação do sigilo do caseiro", disse Romeu Tuma.

No mês passado, durante depoimento de Francenildo na Corregedoria Parlamentar do Senado, o senador Suplicy anunciou que um senador teria lhe repassado informações de que o caseiro Francenildo Costa, pivô da demissão de Antonio Palocci, teria movimentado considerável volume de recursos antes de seu depoimento na CPI dos Bingos, ocorrido no dia 16 de março. Suplicy chegou inclusive a admitir que o senador em questão poderia ser da bancada do PT. Ele, no entanto, não quis revelar o nome do parlamentar.

SIGA-NOS NO Google News