Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 29 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Secretário visitou produtores no Paraná

Agência Popular - 21 de maio de 2003 - 09:50

O Governo do Estado, através de projeto de expansão da atividade agropecuária, a partir da recuperação de áreas hoje ocupadas por pastagens degradadas, está levando o Programa "Expansul" aos produtores do Paraná. Os produtores de Cascavel conheceram o programa, ministrado pelo secretário de Estado da Produção e Turismo, José Antonio Felício, durante a reunião da Sociedade Rural do Oeste, na noite de segunda-feira.
Acompanhado pelo coordenador de Agronegócios, Fernando Luiz Nascimento, e pelo Superintentende de Agricultura e Pecuária da Pasta, Benedito Mário Lázaro, o Secretário visitou também as seis principais cooperativas de produção do Oeste e Centro-Oeste, procurando despertar o interesse de potenciais investidores. Segundo ele, o agricultor da região é o parceiro ideal para a iniciativa, porque detém tecnologia, conhecimento, vontade e crédito na origem.

Incentivos - O Estado do Mato Grosso do Sul cultiva atualmente 1,8 milhão de hectares com culturas anuais. Outros 16 milhões de hectares são formados por pastagens, em sua maioria degradadas. Destes, ao menos 6 milhões de hectares são potencialmente aptos para culturas anuais. Como seus atuais proprietários são tradicionalmente pecuaristas, a idéia é importar agricultores que, através do arrendamento, recuperem essas áreas para o processo produtivo.
Para viabilizar o processo, o Governo conta com parceria com Sindicatos Rurais Patronais através da Famasul. Uma "bolsa de arrendamento" está sendo organizada, visando racionalizar a oferta destes espaços aos interessados. A intenção, segundo o secretário, também é trazer os preços de volta à realidade. Hoje, produtores do Oeste Paranaense têm pago no Estado arrendamento de até 20 sacas de soja por alqueire/ano. Ele entende que um valor razoável e justo seria da ordem de cinco a seis sacas;
Além da bolsa de arrendamento, o Governo do Estado também acena com crédito para custeio e investimentos e incentivos fiscais, que podem alcançar 75% do ICMS sobre a produção alcançada ao amparo do programa Expansul, nas duas próximas safras agrícolas. (Elaine Valdez)

SIGA-NOS NO Google News