Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Domingo, 3 de Julho de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Saúde emite alerta para casos de Micobacteriose após procedimentos cirúrgicos na capital

Casos ocorridos não possuem relação com surto de Micobacteriose registrado no mês passado no Paraguai

Gabriel Neves, Midiamax - 18 de maio de 2022 - 17:00

Micobacteriose
Imagem ilustrativa - (Foto: Jéssica Barbosa/Arquivo)

A SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul) emitiu um alerta técnico sobre casos de MCR (Micobactéria de Crescimento Rápido), pós procedimentos cirúrgicos, ocorrido no município de Campo Grande.

O alerta, emitido nesta terça-feira (17), é voltado para os serviços de saúde público e privado do município. A pasta orienta para a tomada das seguintes medidas:

A SES/MS orienta aos serviços de saúde públicos e privados quanto a tomada das seguintes medidas:

  • rever fluxo de trabalho dos centros de materiais e esterilização (CME);
  • manter registro de orientação e protocolo de entrada e saída de materiais consignados ou de profissionais;
  • supervisionar e monitorar as atividades ocorridas no CME;
  • padronizar saneantes utilizados no CME, utilizar apenas com registro/notificação como uso hospitalar;
  • saneantes de uso doméstico não devem ser utilizados;
  • atenção redobrada na limpeza dos instrumentais e materiais utilizados nas cirurgias;
  • capacitar os funcionários responsáveis pelo processamento dos materiais;
  • padronizar as soluções para marcação de pele; Manter controle da qualidade da água.

A secretaria esclarece que os casos ocorridos em Campo Grande, a princípio, não têm correlação com o surto de Micobacteriose ocorrido no mês de abril deste ano, em pacientes brasileiras que foram submetidas a procedimentos cirúrgicos estéticos em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

De acordo com a SES, a Micobactéria de Crescimento Rápido se tornou um agente de monitoramento por parte da ANVISA e Vigilâncias Sanitárias após a ocorrência de surtos locais distribuídos pelo país entre os anos de 2003 a 2008, onde mais de 2.000 casos de infecção por MCR foram identificados.

SIGA-NOS NO Google News