Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 24 de Maio de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Reflexões filosóficas

Gustavo Colagiovanni Girotto - 02 de maio de 2020 - 08:22

Ao ver o acirramento dos ânimos entre familiares, colegas de profissão, amigos próximos e distantes, por questões políticas e sanitárias no Brasil e no mundo, resolvi dar outro enfoque com esse texto, a fim de evitar polêmicas desnecessárias.

Como dizem os historiadores, o Mundo passa por períodos cíclicos em diversas eras da Humanidade. Vejo semelhança do momento atual com o que aconteceu no mundo no final da Idade Media e Início da Idade Moderna.

Nicolau Maquiavel, conselheiro de governantes, autor de " O Príncipe", livro que ensina o governante como agir para conquistar e manter o poder. Seu pensamento era que “melhor ser temido que amado” e que o homem, em sua visão, era covarde e ambicioso.

Thomas Hobbes, autor de Leviatã, acreditava que o homem nascia mau, por isso a vida era uma guerra permanente de todos contra todos.

Mas, Jacques Bossuet, acreditava que a natureza humana era boa. Porém quando o homem entrava na sociedade ele perdia sua liberdade e se transformava em invejoso, ganancioso e mal.

Esses teóricos absolutistas foram antagonizados pelos filósofos iluministas, pois os primeiros queriam o poder e os outros, buscavam a liberdade de expressão.

Diderot dizia que nenhum homem recebeu da Natureza o direito de comandar outros. A liberdade é um presente do céu, e todo indivíduo deve gozar dela, logo que goze da razão. O Iluminismo foi bem mais sensato, preocupando-se com o progresso da humanidade, não necessariamente progresso materialista, mas uma renovação da alma humana. Resgatar os valores humanos foi fundamental para quebrar padrões que se mantinham pela força.

Teóricos absolutistas sempre deram suporte teórico às ditaduras, maior poder do Estado, enquanto os Iluministas flertaram com ideias democráticas culminando com movimentos como a Revolução Francesa, Independência dos EUA e Brasil e fim da escravidão.

Pense e reflita como cada um de nós pode fortalecer a nossa jovem democracia, fazendo o bom combate íntimo, fazendo desaparecer qualquer vestígio de egoísmo e desumanidade? Que exemplo queremos dar pros nossos filhos?

SIGA-NOS NO Google News