Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quarta, 21 de Fevereiro de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Prazos para atualização cadastral e declaração de rebanho são prorrogados em Mato Grosso do Sul

A declaração é obrigatória para criadores de bovinos, aves, suínos e outros animais

Midiamax - 30 de novembro de 2023 - 16:00

Prazos para atualização cadastral e declaração de rebanho são prorrogados em Mato Grosso do Sul
Rebanho paraguaio passa a fazer parte do mercado norte-americano (Foto: reprodução, Governo PY)

Os prazos para que produtores rurais façam a atualização cadastral e declaração semestral de rebanhos foi prorrogado por 30 dias em Mato Grosso do Sul. A portaria que estabelece a prorrogação do prazo foi publicada nesta quinta-feira (30), no DOE (Diário Oficial do Estado).

Segundo a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), em Mato Grosso do Sul o índice está em 92,20% e no Pantanal, em 87,03%. Com o novo prazo, produtores nas regiões do Planalto e Pantanal terão até o dia 31 de dezembro para atualizar os dados.

Diretor-presidente da Iagro, Daniel Ingold esclarece que a declaração é obrigatória para criadores de bovinos e de outros animais como galinha, galinha-d'angola, ganso, marreco, pato, peru, ratitas, perdiz, aves não destinadas à produção de carne ou ovos (ornamentais/silvestres), codorna, suíno, caprino, ovino, equino, asinino, muar, abelha, bicho-da-seda e animais aquáticos.

"Esse cadastro deve ser feito mesmo se a pessoa não tiver nenhum estoque de bovino. Se tiver qualquer tipo de animal dentro da sua propriedade, (como) cavalo, peru, galinha, vai ter que fazer um cadastro disso”, explica.

Caso o cadastro não seja feito, o produtor receberá multa no valor de 100 Uferms, que hoje corresponde a R$ 4,8 mil. Além disso, as explorações pecuárias que não realizaram a atualização cadastral e a declaração semestral de rebanhos até o prazo estabelecido, estarão automaticamente bloqueadas e serão desbloqueadas mediante a atualização.

"Contamos com o produtor rural para a liberação do Estado de Mato Grosso do Sul para caminhar para o status sanitário de livre de aftosa sem vacinação", diz Ingold.

SIGA-NOS NO Google News