Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 26 de Fevereiro de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Pedreiro é preso e a polícia descobre, até agora, 7 assassinatos

Por Jones Mário e Clayton Neves - Campo Grande News - 17 de maio de 2020 - 08:27

O pedreiro Cleber de Souza Carvalho, 43 anos, confessou ter matado o aposentado Timóteo Pontes Romã, 62, na manhã do dia 3 de maio, um domingo, pouco mais de 24 horas depois de assassinar e enterrar no quintal o comerciante José Leonel Ferreira dos Santos, 61, vítima que levou a polícia ao criminoso em série.

O corpo da sétima vítima identificada do assassino em série foi encontrado na manhã deste sábado (16), após vizinhos acusarem mau cheiro. O cadáver estava em poço desativado, de aproximadamente 10 metros de profundidade, nos fundos da casa do aposentado, na Rua Netuno, Vila Planalto.

No local nesta manhã, o delegado Carlos Delano disse que o crime se encaixa no perfil dos outros confessados por Cleber Carvalho.

Pedreiro havia sido contratado pelo aposentado para fazer reparos na calçada (Foto: Kísie Ainoã)
“Ele disse que queria ficar com casa da vítima. Deu duas pauladas na cabeça, o que confere com os ferimentos encontrados”, contou.

Além de idoso, Timóteo Romã morava sozinho. Vizinhos relataram que ele vivia de bicos em supermercado.

O aposentado contratou o pedreiro para fazer reparos na calçada da casa. Uma carga de pedras aguardava a obra na residência.

“Quando ele veio para executar o serviço, na verdade, ele executou foi a vítima”, cravou Carlos Delano.

O delegado limitou-se a dizer que o pedreiro pode ter cometido mais assassinatos além dos já descobertos. “Ele diz que não, mas desde o momento em que ele disse que não tinha mais vítimas, nós já achamos outras duas, ou seja, não dá para confiar muito no que ele diz”, continuou Delano.

Bombeiros removeram cadáver de dentro de poço com 10 metros de profundidade (Foto: Kísie Ainoã)
O corpo do aposentado foi retirado do poço pelo Corpo de Bombeiros e levado pela funerária no começo da tarde de hoje.

Olhos arregalados - O pedreiro foi conduzido ao local onde admitiu ter matado Romã. Ao deixar a casa na Vila Planalto, vizinhos ensaiaram gritos de “assassino”.

Carvalho, que, segundo Carlos Delano, tem confessado os homicídios de forma “tranquila”, arregalou os olhos diante da manifestação e se dirigiu rapidamente à viatura da polícia.

Os moradores também aplaudiram militares do Corpo de Bombeiros após a operação para remoção do cadáver. Até o carro funerário ganhou moção. Um vizinho chegou a chorar.

Caso - O pedreiro Cleber de Souza Carvalho foi preso anteontem (15), por volta das 2h da madrugada, por equipes do Batalhão de Choque da Polícia Militar, no Bairro Campo Belo, região norte da Capital. Ele estava na casa de um parente, onde ficou escondido desde quando foi descoberto o assassinato de José Leonel Ferreira dos Santos, encontrado enterrado na própria casa, na Vila Nasser, no último dia 7. Desde então já foram descobertas sete vítimas, mortas e enterradas pelo assassino em série. Na maioria dos casos, ele matava idosos, por brigas por imóveis e veículos. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

SIGA-NOS NO Google News