Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 28 de Maio de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Oscar: Carandiru vai disputar uma das cinco vagas

Ana Paula Marra/Agência Brasil - 18 de setembro de 2003 - 14:32

Brasília - O filme Carandiru, de Hector Babenco, vai concorrer a uma das cinco vagas para a indicação de melhor filme estrangeiro ao Oscar 2004. A escolha foi feita por uma comissão formada por sete especialistas em cinema de diferentes estados brasileiros, eleita pelo Ministério da Cultura. Pela primeira vez, a comissão teve representantes de diferentes estados: Pará, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Sul. Carandiru venceu, entre os nove filmes brasileiros inscritos, pelo seu nível profissional, distribuição internacional e quantidade de espectadores: 4,6 milhões, um recorde de audiência em filmes brasileiros, informou um dos membros da comissão, Roberto Farias (RJ).

Nunca, em toda a história cinematográfica brasileira, tantos filmes haviam sido inscritos num festival mundial de cinema. No Oscar do ano passado, a demanda já era recorde: seis longas-metragens inscritos. O secretário para o Desenvolvimento das Artes Audiovisuais do Ministéiro da Cultura, Orlando Senna, anunciou: o governo federal vai aproveitar a “boa saúde do cinema brasileiro” e ampliar os investimentos para o setor. Em 2004, haverá um aumento de 70% do orçamento para a cultura, comparado com o de 2003, que é de R$ 180 milhões. O Ministério já lançou, este ano, quatro editais de incentivo à produção de filmes (todos podem ser consultados no site www.cultura.gov.br). Em breve, mais três serão anunciados.

Também concorreram à vaga os filmes O Caminho das Nuvens, de Vicente Amorim; Lara, de Ana Maria Magalhães; Dois Perdidos numa Noite Suja, de José Jofilly; O homem que Copiava, de Jorge Furtado; Desmundo, de Alain Fresnot; Durval Discos, de Ana Muylaert; Capital do Medo, de Manoel Carlos; e Deus é Brasileiro, de Cacá Diegues.

A comissão não quis revelar o número de votos para o filme selecionado, mas garantiu que a escolha agradou a todos. “Não foi unâmime, mas houve consenso”, anunciou Roberto Farias. Ele disse que a escolha de um filme depende de vários critérios. O mais importante deles é o festival que o analisará. “Se tivéssemos de escolher um filme brasileiro para enviar ao festival de Cannes, provavelmente não seria o Carandiru”, explicou. Acrescentou que o Oscar é comercial, característica que influencia bastante na seleção.

A escolha de Carandiru é apenas o primeiro passo. Pode ser que a Academia de Artes Cênicas de Hollywood nem eleja este filme para disputar, juntamente com outros quatro países, o título de melhor longa estrangeiro. A seleção americana é feita apenas dois meses antes do Oscar, marcado para acontecer em abril.

A comissão brasileira que elegeu Carandiru foi formada por João Januário Guedes (PA), Adhemar Oliveira (SP), Ivana Bentes (RJ), Paulo Roberto Ribeiro (BA), Roberto Farias (RJ), Ismail Xavier (SP) e Mônica Schmidt (RS). As inscrições estiveram abertas de 24 de julho a 19 de agosto deste ano. Concorreram à indicação os longas-metragens estreados entre 1° de novembro de 2002 e 30 de setembro de 2003.

SIGA-NOS NO Google News