Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 21 de Setembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Leia a nota do BC sobre a redução da taxa Selic

Cláudia Paiva/Agência Brasil - 18 de setembro de 2003 - 08:26

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), decidiu ontem, por unanimidade, reduzir a taxa básica de juros da economia (Selic) de 22% para 20% ao ano, isto é, dois pontos percentuais. A taxa permanece ainda sem o chamado viés, o que indica que permanecerá nesse patamar até 22 de outubro, quando os membros do comitê voltam a se reunir. É a quarta queda consecutiva na taxa neste ano. A decisão não surpreendeu o mercado que esperava uma queda entre 1 e 3 pontos percentuais.

Para justificar a decisão, o Copom divulgou a seguinte nota à imprensa: "Dadas as perspectivas favoráveis para a trajetória futura da inflação, o Copom decidiu, por unanimidade, dar continuidade à flexibilização da política monetária e fixar a taxa Selic em 20%, sem viés". Na próxima quinta-feira, o Copom divulga a ata desta reunião, com as justificativas oficiais e completas para a decisão.

Em janeiro, pressionado pela expectativa de aumento da inflação, o Copom decidiu aumentar a Selic de 25% para 25,5%, aumentou novamente a taxa para 26,5% em fevereiro e a manteve nesse patamar até maio. Naquele mês, norteado desta vez pela previsão de queda dos preços, o comitê decidiu reduzir os juros para 26% ao ano. Em junho, a taxa caiu em 1,5 ponto percentual, e em agosto atingiu seu menor nível no ano, quando chegou a 22%.

O governo depende do cumprimento das metas de inflação para alcançar superávit primário, por isso o Copom acaba sendo guiado pela trajetória dos preços quando vai definir os juros básicos da economia.

Para este ano, a meta de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é de 8,5% ao ano, e para 2004, de 5,5%, com tolerância de 2,5 pontos para mais ou para menos. A meta de inflação para este consta no acordo fechado pelo governo brasileiro com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A queda de dois pontos percentuais na Selic, em tese, significa que bancos e financeiras deverão reduzir os juros que cobram para emprestar dinheiro. Isso deverá ocorrer porque a Selic é utilizada pelos bancos quando as instituições necessitam de dinheiro emprestado.


SIGA-NOS NO Google News