Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 8 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

IBGE vai realizar o censo agropecuário em 2007

06 de junho de 2006 - 15:43


Com seis anos de atraso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai realizar um novo censo agropecuário. O último levantamento desse tipo foi realizado há uma década, em 1996. Deveria ter sido atualizado em 2001, mas não houve liberação de recursos. O instituto vai realizar também uma nova contagem da população brasileira, pesquisa que deveria ter sido feita em 2005, mas foi vítima do mesmo problema, restrição orçamentária.

Técnicos das 530 agências do IBGE espalhadas pelo país estão reunidos num congresso em Caetés, na região metropolitana de Belo Horizonte, para o planejamento do trabalho de campo que terá início em abril de 2007 e levará quatro meses para ser concluído. As duas pesquisas serão realizadas simultaneamente, mas terão resultados divulgados em separado. A recontagem, até o fim de agosto, e o censo agropecuário, até o fim de 2007.

" O problema do IBGE não é restrição orçamentária e sim excesso de demanda, ampliação do trabalho " , afirmou ontem o presidente do instituto, Eduardo Nunes, que abriu a reunião com os técnicos das agências. O orçamento de 2006 para pesquisa e custeio (manutenção de equipamentos e prédios) é de R$ 150 milhões, o mesmo de 2005.

Para realizar as duas pesquisas - a contagem populacional e o censo agropecuário - o IBGE precisaria de R$ 900 milhões. Foi preciso adequar o trabalho a um orçamento de R$ 538 milhões para 2007. Por isso, a contagem ficará restrita aos municípios com menos de 170 mil habitantes. Capitais e grandes cidades, com população maior, ficarão de fora da pesquisa de campo e terão população atualizada por estimativa.

Segundo Nunes, o instituto negocia uma liberação de mais R$ 22 milhões para incluir na lista da recontagem 21 cidades desse grupo de mais de 170 mil habitantes. O objetivo é contemplar Estados onde apenas uma ou duas cidades ficariam de fora do critério da contagem, como o Rio Grande do Norte.

Cerca de 80 mil pessoas, incluindo 70 mil entrevistadores temporários, vão trabalhar na pesquisa de campo. Mais de 5,5 mil propriedades rurais e 25 mil domicílios serão visitados. Pela primeira vez, os pesquisadores vão utilizar equipamentos como palm top e IGPS.

O presidente do IBGE lembrou que não há informações estatísticas sobre a última década, período em que o agronegócio brasileiro mais cresceu. " Precisamos saber qual é o significado desse crescimento, até para saber a potencialidade do agronegócio " , afirmou.

Desta vez, o censo agropecuário incluirá o georeferenciamento das propriedades rurais. A pesquisa, diz Nunes, deverá nortear ações de governo voltadas para o agronegócio, como investimento em logística, e também os planos da iniciativa privada.


SIGA-NOS NO Google News