Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 15 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Iagro terá suplementação de R$ 7 milhões

Fernanda Mathias / Campo Grande News - 01 de junho de 2006 - 14:00

Órgão historicamente deficitário, a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) deverá receber ainda este mês suplementação de R$ 7 milhões, do governo federal, que garantirá a manutenção do órgão pelos próximos 7 meses, segundo informou o superintendente federal de Agricultura, José Antônio Felício.

De acordo com ele, que já esteve à frente da pasta de Produção e Turismo do governo de Mato Grosso do Sul, historicamente a Iagro tem arrecadado de R$ 1 milhão a R$ 1,2 milhão, revertidos ao custeio e a folha de pagamento dos servidores, que chega a R$ 1,8 milhão com encargos, é bancada pelo governo.

Com as medidas de contenção anunciadas pelo governo esta participação acabou ficando comprometida e por isso o diretor da Iagro, João Cavalléro tem desenvolvido várias gestões para obter recursos.

Felício afirma que as perspectivas para a Iagro são preocupantes.Ele afirma que mesmo nas ações que estão sendo desenvolvidas na fronteira, para cumprir protocolo sanitário após detecção de focos de febre aftosa no Conesul, são custeadas com recursos federais, através de repasses para compra de combustível e pagamento de diárias. Há uma semana a SFA recebeu para isto repasse de R$ 230 mil. “A instituição (Iagro) vive uma fase de estrangulamento”, alerta Felício.

Ele defende uma mobilização da classe produtora, ao lado dos deputados estaduais para que o Fundersul (Fundo Para o Desenvolvimento Rodoviário de Mato Grosso do Sul) tenha uma nova destinação: a criação de um conselho deliberativo do agronegócio. A sugestão, explica Felício, é que esta instância congregue entidades como a Assembléia Legislativa, Ministério Público Estadual e Federal, SERC (Secretaria de Estado de Receita e Controle), SFA (Superintendência Federal de Agricultura), CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), Embrapa e universidades. O Conselho deliberaria sobre investimentos e custeio de atividades ligadas ao agronegócio.

SIGA-NOS NO Google News