Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 13 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Delcídio consegue barrar na Justiça livro de Pedrossian

Maristela Brunetto / Campo Grande News - 11 de maio de 2006 - 16:30

O senador licenciado Delcídio do Amaral (PT) obteve ontem decisão judicial barrando o livro “O Pescador de Sonhos”, do ex-governador Pedro Pedrossian, que tem lançamento previsto para esta noite. Conforme liminar concedida ao parlamentar pelo juiz da 5ª Vara Cível, Alexandre Corrêa Leite, Pedrossian fica proibido de “publicar em seu livro de memórias o trecho referente ao autor”, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

O senador ingressou com o pedido de liminar com a argumentação de que o livro traz comentários e afirmações ofensivas e inverídicas. A briga judicial não começou agora. Delcídio já tinha obtido direito de resposta a uma entrevista de Pedrossian sobre o livro publicada na revista Gente Vip. Na alegação do senador consta que “tais comentários e afirmações acarretar-lhe-á prejuízos morais e políticos”

Pedrossian, na defesa, não negou haver trechos sobre Delcídio no livro, mas rejeitou que fossem informações falsas, argumentando “que exercitou tão somente seu direito de manifestação de pensamento e de crítica, sem a intenção de ofender o autor”, conforme consta em trecho da decisão judicial.

“...não se sabendo o que se deve exatamente proibir, a melhor solução é reservar ao ofendido o direito de reparação, com o que não se estaria infringindo a liberdade de informação e de manifestação do pensamento, nem se estaria deixando ao desamparo os direitos da personalidade”, incluiu o magistrado na decisão, emendando que neste caso o senador apresentou exatamente o conteúdo que pretendia não ver publicado. As afirmações seriam acerca da disputa eleitoral de 2002, quando Delcídio foi eleito senador na vaga de Lúdio Coelho (PSDB) e Pedrossian foi derrotado.

O livro tem 270 páginas, foi impresso pela Editora UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e editado pelo Instituto Histórico e Geográfico do Estado.

SIGA-NOS NO Google News