Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 15 de Maio de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Correios lançam dois novos selos

Assessoria - 11 de julho de 2003 - 09:19

A ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) lança na abertura do 4º Festival de Inverno de Bonito, dia 12 de julho, às 19 horas, dois selos. A Empresa junto com a Petrobrás é patrocinadora do evento e terá um stand com uma série de produtos dos Correios, que incluem desde selos e envelopes, até chaveiros, camisetas, papéis de carta e cartões postais.
O primeiro lançamento é uma cartela que traz quatro selos com produtos reciclados. A intenção é fazer um alerta internacional para a má utilização dos recursos naturais e desenvolver uma campanha nacional de conscientização para a reciclagem.
As estampas dos selos, criadas pela artista Cecília Langer, são o artesanato com vidro, metal, plástico e papel, mostrando garrafas de cerveja pintadas à mão transformadas em licoreiras, sucatas de metal usadas na confecção de porta-jóias, vasos de flores criados a partir de garrafas de refrigerantes e o papel machê utilizado para a criação de bonecos de dedo ( títeres). No centro dos selos aparece o símbolo da reciclagem. O preço de cada selo será R$ 0,60 e a impressão é da Casa da Moeda do Brasil, com a tiragem de 3.960.000 unidades.
Os selos Plantas Medicinais do Cerrado, que também serão lançados no Festival, compõem uma minifolha, que tem tiragem de 400 mil exemplares, num total de 2.400 mil selos, com valor facial unitário de R$ 0,60, equivalente ao 1º porte da carta comercial simples.
Os Correios procuraram retratar vegetais que são objeto de estudos científicos. O edital do selo foi elaborado pelo professor Roberto Fontes Vieira, Engenheiro Agrônomo e Pesquisador da Embrapa. No edital, o professor revela curiosidades do uso medicinal das plantas do Cerrado. A embira, por exemplo, é reconhecida como um eficiente diurético pela medicina popular. Já o extrato da folha da tiborna é indicado para o tratamento de tumores cancerígenos. A casca do pacari, por sua vez, é usada como cicatrizante e no tratamento de úlceras e gastrites. Além da graciosidade do ipê no seu período de floração, a casca dessa planta é indicada no tratamento do diabetes, da artrite, do reumatismo, entre outras enfermidades. O velame, potente depurativo, é largamente usado no tratamento da sífilis. O polvilho de sua raiz é aplicado sobre úlceras como sedativo e curativo. A arnica tem uso em contusões de vários gêneros, além de anemia, clorose, síncopes e comoção cerebral.
Com a emissão desta série, os Correios despertam a atenção para o tema, na medida em que fomentam a sociedade a conhecer e a preservar a importante e rica flora do nosso cerrado.

SIGA-NOS NO Google News