Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Segunda, 10 de Maio de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

CBF apresenta relatório de protocolo e vê futebol como ambiente seguro

Entidade defende continuidade do futebol durante pandemia de covid-19

Agência Brasil - 11 de março de 2021 - 08:20

CBF apresenta relatório de protocolo e vê futebol como ambiente seguro

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou uma videoconferência nesta quarta-feira (10) para apresentar o relatório com resultados do protocolo sanitário implementado pela entidade em 2020 para realização das competições nacionais em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19). O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, afirmou que o futebol é um ambiente “seguro, controlado, responsável e tem todas as condições de continuar”.

Segundo o relatório, mais de 89 mil testes foram realizados e 13.237 atletas monitorados durante os torneios organizadas pela CBF (masculino e feminino, profissional e base). Por meio de gráficos comparando a taxa de transmissão comunitária da covid-19 no país e no futebol, a comissão médica especial da entidade concluiu, segundo nota publicada no site oficial da confederação, que “não há evidência de contaminação cruzada em campo”.

“Nas partidas em que havia três ou mais atletas com PCR positivo, eles foram isolados. Avaliamos nos próximos 14 dias a eventual ocorrência de outros positivos nos atletas que participaram desses jogos. Em 67 interações em que havia pelo menos três jogadores que foram retirados da partida, não houve nenhum caso positivo nos times adversários”, detalhou, durante a videoconferência, o epidemiologista Bráulio Couto, doutor em Bioinformática e professor do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH).

A CBF também anunciou alterações no protocolo de 2021, como testes 72 horas antes de cada partida e 72 horas após o retorno da delegação nas rodadas como visitante se o intervalo para o jogo seguinte exceder cinco dias.

“Um jogador que jogou 38 partidas na Série A ou na Série B foi submetido 38 vezes ao exame de PCR. E só graças a esse protocolo que nós podemos hoje compartilhar que foi tão seguro realizar a temporada 2020. Agora, nós estamos preocupados também com o entorno, com o que acontece fora do campo, nas viagens, nas concentrações, nas academias dos clubes, para tornar tudo ainda mais seguro aos atletas”, disse o infectologista Clóvis Arns, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, na videoconferência.

“Dentro do campo, conseguimos mostrar que é muito seguro ter futebol baseado nesse protocolo. No futebol, está sendo feito algo que nenhuma outra atividade econômica fez, que é a busca ativa dos atletas assintomáticos fazendo PCR no máximo três dias antes das partidas”, concluiu Arns.

Cenário incerto
A manifestação da CBF se dá no momento em que se discute a paralisação do futebol como parte da contenção à disseminação da covid-19. Em estados como Paraná e Santa Catarina, que adotaram restrições mais rígidas após o aumento elevado nos casos e nas internações em unidades de terapia intensiva (UTIs), os campeonatos locais foram suspensos. A validade do decreto do governo paranaense chega ao fim nesta quarta e o Estadual retorna na quinta-feira (11), mas várias prefeituras (entre elas a da capital Curitiba) manifestaram que não pretendem liberar a realização de jogos nas respectivas cidades.

Em São Paulo, o Ministério Público (MP-SP) recomendou ao governo estadual a interrupção do Campeonato Paulista. A Federação Paulista de Futebol (FPF) se manifestou contrária, sob o mesmo argumento de Feldman. Nesta quarta, em entrevista coletiva, o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, Paulo Menezes, não descartou a possibilidade.

“As recomendações do Ministério Público acompanham a discussão de medidas que podem ser necessárias para além do que temos hoje na Fase Vermelha [a mais restritiva do Plano São Paulo, de combate à covid-19]. Estamos trabalhando em como viabilizar medidas que possam, de fato, aumentar o nível de isolamento social”, disse Menezes.

Nos siga no Google News