Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 28 de Setembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Borges consegue ouro e iguala a Hoyama

Agência Brasil - 15 de agosto de 2003 - 09:24

A vitória brasileira no revezamento 4x100m de nado livre nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo (República Dominicana), na noite de ontem (14), marcou o bicampeonato brasileiro na prova e a 18ª medalha de Gustavo Borges na história dos jogos, consolidando o nadador (que estava na equipe de Winnipeg, em 1999) como o maior ganhador de medalhas do Brasil em Pan-Americanos. É também o oitavo ouro dele, que assim volta a se igualar ao mesa-tenista Hugo Hoyama.
"O ouro veio na hora certa, eu tinha uma de cada cor nestes Jogos já", brincou Gustavo Borges, que conquistara a prata no 4x200m livre e o bronze nos 100m livre em Santo Domingo.
O time do Brasil foi formado por Gustavo; Fernando "Xuxa" Scherer (outro remanescente de Winnipeg), Carlos Jayme - os três integrantes da equipe bronze na mesma prova nos Jogos Olímpicos de Sydney, Austrália, em 2000 - e Jader Souza. Os brasileiros ganharam a prova com o tempo total de 3m18s66, contra 3m23s14 da Venezuela (prata) e 3m23s83 do Canadá. Os EUA, que haviam chegado em segundo, foram desclassificados porque o terceiro nadador americano a entrar na água deixou o bloco antes que seu companheiro tocasse a borda da piscina.
Mesmo se os EUA não tivessem sido desclassificados, o Brasil teria vencido a prova. O que deixou o ouro com um gostinho mais saboroso, segundo Xuxa: "O gostoso é, mais uma vez, vencer os Estados Unidos".
Xuxa abriu a disputa e estava na frente até os primeiros 50 metros, mas entregou a prova para Gustavo Borges já na segunda posição. Gustavo tirou um pouco a diferença e "passou o bastão" para Jader Souza apena seis centésimos atrás dos EUA. Jader virou seus primeiros 50 metros com 55 centésimos de diferença para os líderes, mas quando Carlos Jayme caiu na água, o Brasil já estava na frente. Jayme ainda abriu a diferença para ganhar o ouro.
"Sabia que estava nadando bem e encarei bem a responsabilidade de fechar. Conseguimos manter a tradição do Brasil nesta prova", comemorou Carlos Jayme, que tinha sido apontado antes da prova por Ricardo de Moura, chefe de equipe da natação do Brasil no Pan, como uma possível surpresa.
Responsável por colocar o Brasil na frente na prova, Jader Souza explicou como conseguiu assumir a ponta depois de virar seus primeiros 50 metros atrás: "Só de estar ao lado dele aqui já é uma vitória. Ele é o meu ídolo".
O revezamento 4x100m, que já estava classificado para os Jogos Olímpicos de Atenas (Grécia) no ano que vem, deu à natação brasileira o seu segundo ouro no Pan e a 15ª medalha nestes Jogos.

SIGA-NOS NO Google News