Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Terça, 16 de Abril de 2024
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Bélgica: dois paranaibenses estavam próximos ao atentado

Fernando Murillo, Interativo - 24 de março de 2016 - 07:15

Bélgica: dois paranaibenses estavam próximos ao atentado

O site Interativo entrou em contato na tarde desta terça-feira (22), com mais dois paranaibenses que moram em Bruxelas e que estavam próximos a um dos atentados terroristas ocorridos nesta manhã, mais precisamente o que vitimou 20 pessoas na estação de metrô de Maelbeek.

Marcos Roberto, conhecido como Copal, que mora desde 2012 na capital Belga e trabalha no segmento de obras, estava em serviço em uma escola que está sendo reformada, quando soube da notícia por meio de sua esposa belga. Copal explicou que o local onde estava trabalhando fica a cerca de 2 quilômetros da estação de Maelbeek e ele já tratou de se atualizar na hora por meio do celular, em um aplicativo de notícias.

“Trabalho na obra, um prédio que está reformando, foi ali pertinho. Esse do metro fica a dois quilômetros de onde eu estava. Quando saímos estava uma movimentação, exército para todo lado, praças, ruas. Hospital só entrava casos com urgência e tinha que ser revistado. A 100 metros do hospital tudo fechado, transporte parou, está voltando de pouco a pouco. Avião não desce nenhum aqui na cidade”, explicou.

O outro paranaibense é Alex Alves dos Santos. Morador do bairro Saint Gilles, na capital belga, a três quilômetros da estação Maelbeek, Alex reside naquele país há 15 anos e disse que acompanhou o caso em casa, pois não foi excepcionalmente hoje trabalhar. “O clima está muito tenso, um paradeiro, parecendo um domingão, poucos carros, todo mundo dentro de casa”, afirmou.

A diferença de horário entre Paranaíba e Bélgica é de aproximadamente 5 horas. OS atentados ocorreram por volta das 8h da manhã por lá, 3h daqui. Tanto Copal quanto Alex afirmou que a sensação é de muito medo por lá, mas que os belgas disseram que o dia posterior será normal no que se refere ao funcionamento de tudo. “Fica meio tenso uns três dias e depois vai voltando ao normal”, concluiu Alex.

SIGA-NOS NO Google News