Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Domingo, 28 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Auditores fiscais da Receita discutem greve

Corumbaonline - 27 de abril de 2006 - 13:44

Os auditores fiscais da Receita Federal podem entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir de 2 de maio.Em Corumbá, a categoria realizada às 13h30 de hoje, no prédio da Inspetoria, uma assembléia para aprovação da paralisação nacional.

A mobilização é pela campanha salarial que tem como itens principais:

-Criação da gratificação de riscos;
-Criação de adicional de fronteira ou adicional para localidade de difícil acesso, de modo a fixar servidores nos pontos de fronteira e em outros em que a rotatividade de pessoal é muito grande (direito retirado a partir de 1997);
-Implantação da tabela remuneratória do Plano de Carreira com objetivo de aproximar o salário final do auditor fiscal ao salário final do Ministério Público Federal.

De acordo com o representante do sindicato da categoria em Corumbá, Waltoedson Arruda, os auditores vem sofrendo uma desvalorização por causa da política de reajuste diferenciado das categorias do serviço público federal. "A classe quer resgatar a importância, a complexidade e a responsabilidade das atribuições inerentes ao cargo de auditor fiscal da Receita Federal, tão importante quanto os policiais federais e procuradores da República, porque a categoria exerce atividades de combate ao crime organizado, sonegação fiscal, combate aos crimes de descaminho e contrabando, lançamento de tributos e outros", afirmou.

O dirigente sindical lembrou que os auditores estão em negociação com o governo federal desde janeiro e até hoje, não obtiveram nenhuma proposta. “É essencial que a carreira seja expressa por uma remuneração condizente com a complexidade das nossas atividades e com a importância do papel que desempenhamos", concluiu.

A greve afetará as exportações de Corumbá que movimentam cerca de R$ 300 milhões por mês e as importações de gás boliviano. Corumbá é responsável por 70% das exportações de todo o Centro-Oeste, segundo o sindicato.

SIGA-NOS NO Google News