Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Quinta, 23 de Setembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Artigo: Dia do Rotariano e do Voluntário Internacional

Márcio Medeiros* - 26 de fevereiro de 2009 - 09:06

Segunda-Feira, dia 23 de fevereiro, foi comemorado o Dia Nacional do Rotariano. Através de Lei Federal, de número 6.843, do dia três de novembro de 1980, foi instituído o Dia Nacional do Rotary no Brasil, comemorado sempre no dia 23 de fevereiro, em razão de ser esse o dia da fundação do Rotary International, no ano de 1905, ou seja, em 2009 o Rotary International completou 104 anos de existência, sendo a primeira e maior Organização Não Governamental (ONG) no Mundo, presente em 208 Países com 1,4 milhão de sócios. Motivo de orgulho para qualquer rotariano que tem muitas razões para comemorar a data, e não deixar passar despercebida junto a comunidade local onde está inserido.

A cidade de Marília conta com sete clubes rotários, Bauru com seis, Presidente Prudente com nove, sendo os maiores centros rotários da região do Distrito 4510 do Rotary International, em todo o centro-oeste paulista que conta com 66 clubes com 1,5 mil rotarianos. Não tenho dúvidas de que seja, também, a maior organização na nossa região em número de clubes e de pessoas. Isso quer dizer que 38 cidades contam com voluntários com grande potencial de apoio na comunidade, por terem como missão: servir ao próximo, difundir altos padrões éticos e promover a boa vontade, paz e compreensão mundial por meio da consolidação de boas relações entre líderes profissionais, empresariais e comunitários.

Quando o advogado norte-americano Paul Harris, o fundador do Rotary International, estabeleceu o primeiro clube com outros três homens de negócios, em Chicago: Silvéster Schile (comerciante de carvão), Gustavus Loehr (engenheiro de minas) e Hiram Shorey (alfaiate), jamais ele poderia imaginar a grandiosidade que chegaria esta organização e a força instituída pelos voluntários que fazem parte desta instituição que se preocupa com a humanidade num todo, tendo as presenças de personalidades mundiais como rotarianos: Sir Winston Churchill, Primeiro-ministro da Inglaterra; Neil Armstrong, Astronauta e primeiro homem a pisar na lua; Walt Disney, Cineasta; Thomas A. Edison, Inventor, ou então brasileiros como: Antônio Ermírio de Moraes, Presidente do Grupo Votorantim; José de Alencar, Vice-Presidente da República; Jucelino Kubitschek, Ex-presidente da República; Mário Covas, Ex-Governador do Estado de São Paulo, dentre outros que fizeram ou fazem parte desta organização centenária. Pode parecer utopia, mas quando falamos de Paz e Compreensão Mundial, estamos falando da nossa paz individual. A Paz na comunidade que vivemos, pois, havendo a Paz onde o Rotary estiver, a maioria dos Países estarão em Paz, porque não existe uma instituição presente em mais nações do que o Rotary está, e desta forma, é o Rotary a única entidade capaz de promover a Paz no Mundo, pois foi do Rotary que nasceu a Organização das Nações Unidas (ONU).

Os 1,5 mil rotarianos de nossa região devem se orgulhar em fazerem parte do Rotary International. São milhares de campanhas organizadas, em organização e em planejamento... São atividades, ações, programas, projetos, e tantos outros trabalhos voluntários que empresários e profissionais liberais, se unem e colocam as atividades profissionais que dominam em favor de programas e projetos rotários. O formato na arrecadação de recursos, existe das mais diversas formas e todas elas são benéficas, porque sempre alguma instituição carente será auxiliada. O rotariano trabalha para a comunidade, através do Rotary Club, de forma coletiva, pois, normalmente sozinho a força será enfraquecida. Quando um jornalista se une com advogados, médicos, engenheiros, arquitetos, empresários, educadores, e tantos outros profissionais, uma atividade vai completando a outra em favor de uma determinada campanha planejada e articulada dentro de um Rotary Club.

Eu seria capaz de enumerar centenas de ações que os rotarianos desenvolvem no Mundo, no Brasil e na nossa região. A nossa essência é unir conhecimento, vontade, disponibilidade de tempo e principalmente a satisfação de ajudar a comunidade a crescer e se desenvolver. Normalmente o rotariano é atarefado, super compromissado profissionalmente, de família numerosa e com grandes laços de amizade. O que adianta ter tudo isso, e não utilizar essas qualidades em favor da comunidade em que faz parte? O que adianta ter sucesso profissional, intelectual, social e familiar, conseguidos na sociedade e devidamente reconhecida por ela de alguma forma, se não nos colocarmos em favor de programas e projetos que beneficiem a própria comunidade em que está inserido? Sendo através da sociedade que se conseguiu tudo isso, nada mais justo, que devolver esse conhecimento processado e melhorado, em trabalhos voluntários para a comunidade.

Não consigo visualizar sucesso de uma pessoa, sem ser compartilhado. Não consigo imaginar um líder, admirado numa comunidade, se ele não der o exemplo de ajudar o próximo. Como ser reconhecido como ser humano, se não fizermos trabalhos em favor do ser humano. É pensando assim que defendo a necessidade dos rotarianos serem mais compreendidos na comunidade, que pouco utiliza o potencial rotário existente nas cidades onde estão presentes. As confusões de interpretações são de dentro pra fora e de fora para dentro, ou seja, os rotarianos se posicionam de forma insegura, enquanto que a comunidade observa os rotarianos de forma incompleta. Essa duas pontas precisam alinhar conceitos, visões e desejos, pois uma precisa da outra.

O Rotary International para crescer precisa continuar com o trabalho conceitual, mas precisa ser mais contundente em mostrar suas obras e realizações. Jesus Cristo, a maior personalidade de todos os tempos, nos ensinou que é preciso explicar e mostrar. Se Ele ficasse pregando a Paz somente na oratória no pé da montanha, não teria convencido a humanidade como convenceu. Se Ele não tivesse mostrado através dos milagres, a força que tinha com a presença e com as palavras, talvez Ele não seria o que é. Os rotarianos precisam mostrar suas obras, através da Fundação Rotária, para que a comunidade dê o devido valor de contar com uma organização deste potencial, pois, são tantas as obras conquistadas pelo Rotary ao longo dos 104 anos, que alguns rotarianos e a população em geral desconhecem. Em nossa região há 73 anos estamos presentes na comunidade. Escolas, Centros Comunitários, estradas, ruas, vilas, Centros de Saúde, equipamentos dos mais diversos e assistência a instituições sociais diversificadas são algumas das bases de realizações dos rotarianos na região.

Nunca é demais dizer que: ser rotariano não é fazer filantropia, assistencialismo ou beneficência. Ser rotariano é colocar os nossos conhecimentos profissionais em favor de programas e projetos que beneficiarão a comunidade. Essa é uma confusão complexa, mas que é preciso sempre lembrar. Nada melhor do que lembrar no mês, ou na semana em que se comemora o Dia Nacional do Rotary.

*Márcio C Medeiros, é radialista e jornalista, sócio do Rotary Club Marília Pioneiro

SIGA-NOS NO Google News