Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sábado, 27 de Novembro de 2021
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Área de controle da febre aftosa não será ampliada

Rede Rural - 24 de abril de 2006 - 14:18

O novo foco de febre aftosa constatado em Japorã, no Mato Grosso do Sul, não cria a necessidade de ampliação da área onde a transferência e o comércio de animais está interditada. O território sob controle é restringido pelos municípios de Mundo Novo, Japorã e Eldorado, que confirmaram os focos registrados em outubro do ano passado.

O Ministério da Agricultura informa que propriedade onde foi registrado o mais recente caso de febre aftosa possui 137 bovinos, sendo 3 com idade abaixo de 4 meses, 10 com idade entre 5 e 12 meses, 25 com idade entre 13 e 24 meses e 99 com idade acima de 24 meses. Todos os animais serão sacrificados.

Além disso, o Ministério ressalta que as ações sanitárias em Mundo Novo e Eldorado terão continuidade. N este momento, estão em execução as fases de introdução de animais sentinelas e de investigação sorológica para avaliação de circulação viral nos dois municípios.

Aumento das importações de adubo é bom sinal

Se a indicação de que as compras de adubos químicos crescerão consideravelmente este ano serve para prever que a área plantada ou a produtividade das lavouras será maior em 2006, pode-se esperar que o Brasil terá boa safra. As importações brasileiras de fertilizantes aumentaram 20,3% até a segunda semana de abril em comparação com o mesmo período do ano passado.

A informação é do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. No geral, em todos os produtos analisados, as importações brasileiras cresceram em abril e estão, neste período, 32,1% maiores que a média diária registrada em abril de 2005, quando as compras no exterior chegaram a US$ 266,6 milhões.

No acumulado do primeiro trimestre, as importações registraram aumento de 20,2% na comparação com o primeiro trimestre de 2005. As importações em abril somam US$ 3,170 bilhões, com média diária de US$ 352,2 milhões.

Governo compra safra de produtores familiares do Semi-Árido

O Ministério Desenvolvimento Social e Combate à Fome comprará a produção de agricultores familiares em 73 cidades do Semi-Árido nordestino. Das 263 propostas encaminhadas por municípios da região, 73 foram selecionadas para o programa de compra direta da agricultura familiar.

O Ministério tem R$ 9,6 milhões para apoiar esses projetos e explica que os recursos serão utilizados pelas prefeituras para a compra da produção de agricultores cadastrados em cada região. Os alimentos serão distribuídos a entidades beneficentes também cadastradas nos municípios.

A partir de hoje (24), as pre feituras selecionadas receberão ofícios contendo orientações sobre a assinatura de convênio com o Ministério. Entre as orientações estão informações sobre as datas e os locais das reuniões técnicas que o governo realizará em três capitais do Nordeste – Fortaleza (CE), Salvador (BA) e João Pessoa (PB).

A lista dos 73 projetos contemplados, por atenderem aos critérios exigidos, pode ser conferida no endereço eletrônico www.mds.gov.br.

Conama defende Plano Nacional de Áreas Protegidas

O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) pretende enviar à presidência da República uma recomendação para que se crie por decreto o Plano Nacional de Áreas Protegidas (PNAP). O plano e a recomendação ao governo federal foram votados na 47ª Reunião Extraordinária do Conselho realizada semana passada em Curitiba.

Elaborado pelo Ministério do Meio Ambiente após consultas púb licas, o documento define objetivos, metas e estratégias até 2015 para integração e manejo de unidades de conservação, terras indígenas e quilombolas e outras áreas protegidas. Somadas, essas áreas representam quase metade do território nacional.

"Há uma área muito expressiva do território nacional totalmente dedicada à conservação da biodiversidade, que depende de um plano nacional para que sua proteção obedeça a uma estratégia compartilhada por todos os envolvidos direta ou indiretamente", destaca o presidente do Conama, Nilo Diniz.

SIGA-NOS NO Google News