Cassilândia Notícias

Cassilândia Notícias
Cassilândia, Sexta, 19 de Agosto de 2022
Envie sua matéria (67) 99266-0985

Geral

Aftosa : Indústria vende mais de 78 milhões de doses

Agência CNA - 07 de junho de 2006 - 14:56

A indústria veterinária comercializou 78,1 milhões de doses de vacina durante a primeira etapa da campanha oficial de vacinação contra febre aftosa, realizada em maio. Desde o início de 2006, cerca de 187,4 milhões de doses já foram disponibilizadas ao mercado. A informação é da Central de Selagem de Vacinas (Vinhedo, SP), órgão constituído em parceria entre o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) e o do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Nessa primeira etapa – ponto alto da vacinação no primeiro semestre – foram vacinados os rebanhos do Distrito Federal e de mais 15 estados brasileiros, entre eles: Mato Grosso, Minas Gerais, Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Goiás, que também integra o calendário de vacinação em maio, antecipou o início da campanha para o dia 26 de abril. O Estado foi quem mais comprou vacinas contra a enfermidade desde o início do ano, cerca de 26 milhões de doses, seguido por Mato Grosso do Sul, com 23,9 milhões, Minas Gerais (22,8 milhões), Mato Grosso (18 milhões), Pará (16,3 milhões) e São Paulo (15 milhões).

“As intempéries da pecuária, o baixo preço da arroba, as chuvas em algumas regiões, as entradas bloqueadas por protestos de agricultores em diversos municípios do País, todos esses percalços não tiveram grandes reflexos na primeira etapa da campanha oficial de vacinação, que caminhou bem. A indústria veterinária não mediu esforços para que a campanha não sofresse nenhuma alteração ou intervenção e seguisse com tranqüilidade. Nosso objetivo foi atingido e os laboratórios garantiram o abastecimento de vacinas, atendendo à demanda necessária para imunização do rebanho nacional, sem alteração nos preços praticados no mercado”, afirma Emílio Salani, presidente do Sindan.

Segundo Sebastião Guedes, consultor do Sindan e presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), o abastecimento da primeira fase da campanha de vacinação foi normal, com a produção de vacinas de todos os laboratórios fabricantes. “Se houve alguns problemas foram por falta de crédito e/ou inadimplência, casos que foram solucionados em seguida”, afirma Sebastião Guedes.

Imagem positiva – Guedes, que também preside o Grupo Interamericano de Erradicação da Febre Aftosa (GIEFA), afirma que imagem do Brasil no exterior pós-febre aftosa está melhorando. Recentemente, Jamil Gomes de Souza, coordenador geral de combate às doenças (CGCD/DSA), foi nomeado presidente da Comissão das Américas da OIE (Organização Internacional de Epizootias) em substituição ao norte-americano Peter Fernandes, e Jorge Caetano Júnior, diretor do Departamento de Saúde Animal do MAPA (DSA/SDA), assumiu o posto de membro da Comissão do Código de Animais Terrestres. “Essas posições retratam o prestígio da defesa sanitária animal do Brasil e a credibilidade do País no controle dos focos de aftosa e na maneira transparente como lidaram com a situação”, completa o presidente do GIEFA.


Autor: Texto Assessoria

SIGA-NOS NO Google News