Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/04/2006 17:05

Zeca fala dos cortes de gastos que pretende fazer

Fernanda Mathias e Paulo Fernandes/Campo Grande News

Os fornecedores do governo de Mato Grosso do Sul serão preteridos no esquema de corte de gastos que elabora para aplicar a partir de agora. A informação foi dada esta tarde pelo governador, Zeca do PT, que foi enfático: “os fornecedores terão de esperar”. Segundo disse, pouco antes de se reunir com seu secretariado, na governadoria, obras também podem ser paralisadas, mas não há previsão de demissões.

O secretário de Coordenação Geral do Governo, Raufi Marques, ficou incumbido de elaborar um plano de contenção, que apontará “radiografia profunda de todos os pontos do governo para identificar onde pode haver cortes”, segundo informou Zeca.

Mais uma vez ele lembrou a conjuntura que levou o governo à crise de caixa: passando principalmente pela crise do setor agropecuário, baixos preços de grãos, febre aftosa e a gripe do frango, que restringiu o mercado para as aves produzidas no Estado, detonou nova crise na avicultura e acirrou a concorrência com outras carnes, prejudicando novamente a pecuária. “Podemos ter os nove meses mais difíceis do governo. Mas estamos fazendo de tudo para ter uma transição de maneira tranqüila em primeiro de janeiro”, afirmou o governador. Os prejuízos aos cofres, com queda na arrecadação, somam R$ 100 milhões.

Zeca também lembrou dos efeitos negativos no racionamento de fornecimento de gás boliviano pelo Gasbol (Gasoduto Brasil-Bolívia), a partir do rompimento de um duto, ocorrido na semana passada, na Bolívia, que, segundo ele, podem impactar em redução de 20% nas importações através de Mato Grosso do Sul, operação valiosa para arrecadação de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para o governo estadual. A receita do gás representa de 15% a 20% de tudo o que o Estado arrecada em ICMS e Zeca se mostrou preocupado em relação às discussões sobre nacionalização do produto, na Bolívia. “Se a vinda do gás não for garantida haverá uma grande crise para o governo”, disse.

O governador reiterou que será prioridade do governo manter os programas sociais bolsa-escola e bolsa-alimentação, que atendem 80 mil famílias no Estado e manter o pagamento em dia dos servidores públicos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)