Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

21/05/2004 08:40

Veja uma churrascaria chinesa

Edla Lula/ABr
Antônio Milena/ABrAntônio Milena/ABr

Na terra do chá, não é o café que forma com o samba e com o futebol o trio de especialidades brasileiras mais conhecidas. O que conquistou o gosto dos chineses foi o churrasco gaúcho. Existem mais de 400 churrascarias no país, nem todas dirigidas por brasileiros.

“Os mistérios do sabor do churrasco são quase tão fascinantes quanto a técnica do Ronaldo ou a música forte do povo latino”, diz Chen Wei, diretor de uma academia de música de Pequim. Ele conta que conheceu o churrasco há três anos, levado por um amigo. “Depois que provei a carne brasileira, criei o hábito de sempre ir à churrascaria”.

O comerciante Mi Bao Guo acha o sabor exótico, “algo diferente de qualquer carne que a gente come na China, na Coréia ou outro país da região”. Já o empresário Wang Guang Tun gosta de ir à churrascaria para realizar reuniões de trabalho. “Escolho a maior mesa e ponho todos os negociadores sentados. Enquanto comemos e bebemos em ambiente bem brasileiro, tomamos decisões importantes. Com seriedade, mas também com bom humor”, relata, sentado ao lado de outros seis empresários, à mesa da churrascaria Beijing Brasil, que ocupa uma grande área num antigo casarão.

No interior da típica arquitetura chinesa, a impressão que se tem é de estar numa legítima churrascaria gaúcha, com mesas compridas e dezenas de garçons circulando a todo instante, exibindo espetos de picanha, maminha, cupim, frango e outras carnes.

Cultura

O “ambiente bem brasileiro” de que fala Wang se deve à receptividade dos atendentes e garçons que a todo instante distribuem sorrisos. “Aqui eles são bem acolhedores”, diz. Para completar, uma seleção de músicas brasileiras, que vai do samba ao sertanejo. A idéia é que, através do restaurante conheçam um pouco mais da cultura brasileira”, explica o gerente Célio Cella, que vez por outra contrata uma dupla de dançarinos brasileiros para ensinar aos fregueses os passos do samba, da lambada e do pagode.

Durante a Copa do Mundo de Futebol do Japão e da Coréia, ele instalou telões e decorou o ambiente com bandeiras brasileiras para atrair a clientela nos dias de jogos do Brasil. Há dez anos morando em Pequim, Cella conta que no início foi difícil convencer os chineses. “Tivemos que investir muito em publicidade, ensinar a ele como se servir da carne e abrir o apetite deles”, lembra o gaúcho. "Até precisei mostrar, nos frigoríficos, os cortes certos", acrescenta.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)