Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

25/06/2013 13:28

Veja a decisão do desembargador do TJMS sobre a Marcha para Jesus

Redação

Leia a decisão liminar do desembargador Josué de Oliveira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, no Agravo de instrumento da Marcha para Jesus

 

Agravo de Instrumento Nº 4006247-65.2013.8.12.0000 Vistos. MUNICÍPIO DE CASSILÂNDIA, qualificado nos autos da Ação Civil Pública n. 0801300-79.2013.8.12.0007, em trâmite pela 1ª Vara da Comarca de Cassilândia, que lhe move o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GROSSO DO SUL, interpõe o presente agravo de instrumento, com pedido de efeito suspensivo, em face da decisão de pág. 15-18 (pág. 6-9 TJ/MS), que, com fulcro no art. 12 da Lei n. 7.347 c/c o art. 19 da CF, deferiu liminar para o fim de determinar ao agravante e seu gestor, Prefeito CARLOS AUGUSTO DA SILVA, que suspendam o pagamento de subvenção social, no valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) à ÀSSOCIAÇÃO AVIVAMENTO BÍBLICO, para o pagamento de despesas com a realização da “6ª Marcha para Jesus”, a ser realizada nos dias 28 e 29 de junho de 2013.

Alega, em síntese, que a decisão deve ser reformada, uma vez que a verba destina-se a evento cultural, socioeducativo e não religioso.

Esclarece que, apesar da presença e organização de líderes religiosos, o evento é aberto a toda a população, com shows, palestras de conscientização sobre diversos assuntos que assolam a sociedade, tão importantes para a formação do cidadão, evento esse que foi reconhecido e incluído no calendário municipal de Cassilândia pela Lei Municipal n. 1.784/2010, como já o foi em outras cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, existindo, inclusive amparo na Lei federal n. 12.025/2009, sob o nome “Dia Nacional da Marcha Jesus”.

Insiste que, mesmo que o evento tivesse caráter religioso, não haveria problema algum em receber subvenções dos cofres do governo municipal, pois a verba tem destinação pública.

Aduz que a alegação albergada na decisão recorrida de que o Município não vem honrando seus compromissos “não vem ao caso” (sic) e que a decisão agravada fere os princípios constitucionais e implícitos, entre eles o da legalidade, da impessoalidade, da segurança jurídica e da liberdade de crença e expressão.

Requer o provimento do recurso, com a revogação da liminar, permitindo o repasse da segunda parcela para a realização da 6ª Marcha para Jesus.

É o relatório.

Decido.

Os requisitos autorizadores da concessão do efeito postulado, previstos no art. 558 do Código de Processo Civil, não se encontram presentes, ante a falta de demonstração da existência de ameaça iminente ao direito do agravante, em face de eventuais prejuízos irreparáveis, no caso de persistir a decisão recorrida até o julgamento deste recurso pelo colegiado. Afinal, a maior interessada na revogação da liminar, que é a instituição beneficiada, igualmente postada no polo passivo da ação civil pública, não recorreu do ato judicial vergastado, e o erário foi preservado.

Além disso, a ausência da liberação de verba não impede que o evento cultural-religioso aconteça, não havendo, em princípio, nenhuma ofensa à legislação municipal que criou o dia da marcha para Jesus, a qual não contempla a obrigatoriedade de o Município subvencionar tal tipo de atividade, seja ela religiosa ou não.

Pelo exposto, recebo o recurso apenas no efeito devolutivo, para que o agravado seja intimado a responder ao recurso, querendo, no prazo de 10 (dez) dias, nos termos do art. 527, V, do Código de Processo Civil, e que sejam requisitadas da Juíza da causa as informações e os documentos que reputar úteis ao deslinde da controvérsia.

Após, encaminhem-se os autos à Procuradoria de Justiça, para a colheita do parecer ministerial.

P. Intimem-se.

Campo Grande, 25 de junho de 2013.

Des. Josué de Oliveira - Relator

O estado é laico... Logo não é válida qualquer manifestação Religiosa partindo da Prefeitura, independente de qual ela seja... Resumindo... Mova esse dinheiro para fins construtivos e legais...
 
Vinicius Pessoa em 25/06/2013 18:18:46
EU ACHO UM ABSURDO VERBA PRA MARCHA PRA JESUS,NÃO QUE EU SEJA CONTRA PELO CONTRARIO SOU A FAVOR DESSE EVENTO,ONDE O PROPOSITO É LEVAR A MENSAGEM DE DEUS.
SÓ QUE A MARCHA DEVERIA TRE RECURSOS PRO PIOS.
 
Gilson Mariano em 25/06/2013 17:20:41
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)