Cassilândia, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

25/06/2013 13:28

Veja a decisão do desembargador do TJMS sobre a Marcha para Jesus

Redação

Leia a decisão liminar do desembargador Josué de Oliveira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, no Agravo de instrumento da Marcha para Jesus

 

Agravo de Instrumento Nº 4006247-65.2013.8.12.0000 Vistos. MUNICÍPIO DE CASSILÂNDIA, qualificado nos autos da Ação Civil Pública n. 0801300-79.2013.8.12.0007, em trâmite pela 1ª Vara da Comarca de Cassilândia, que lhe move o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GROSSO DO SUL, interpõe o presente agravo de instrumento, com pedido de efeito suspensivo, em face da decisão de pág. 15-18 (pág. 6-9 TJ/MS), que, com fulcro no art. 12 da Lei n. 7.347 c/c o art. 19 da CF, deferiu liminar para o fim de determinar ao agravante e seu gestor, Prefeito CARLOS AUGUSTO DA SILVA, que suspendam o pagamento de subvenção social, no valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) à ÀSSOCIAÇÃO AVIVAMENTO BÍBLICO, para o pagamento de despesas com a realização da “6ª Marcha para Jesus”, a ser realizada nos dias 28 e 29 de junho de 2013.

Alega, em síntese, que a decisão deve ser reformada, uma vez que a verba destina-se a evento cultural, socioeducativo e não religioso.

Esclarece que, apesar da presença e organização de líderes religiosos, o evento é aberto a toda a população, com shows, palestras de conscientização sobre diversos assuntos que assolam a sociedade, tão importantes para a formação do cidadão, evento esse que foi reconhecido e incluído no calendário municipal de Cassilândia pela Lei Municipal n. 1.784/2010, como já o foi em outras cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, existindo, inclusive amparo na Lei federal n. 12.025/2009, sob o nome “Dia Nacional da Marcha Jesus”.

Insiste que, mesmo que o evento tivesse caráter religioso, não haveria problema algum em receber subvenções dos cofres do governo municipal, pois a verba tem destinação pública.

Aduz que a alegação albergada na decisão recorrida de que o Município não vem honrando seus compromissos “não vem ao caso” (sic) e que a decisão agravada fere os princípios constitucionais e implícitos, entre eles o da legalidade, da impessoalidade, da segurança jurídica e da liberdade de crença e expressão.

Requer o provimento do recurso, com a revogação da liminar, permitindo o repasse da segunda parcela para a realização da 6ª Marcha para Jesus.

É o relatório.

Decido.

Os requisitos autorizadores da concessão do efeito postulado, previstos no art. 558 do Código de Processo Civil, não se encontram presentes, ante a falta de demonstração da existência de ameaça iminente ao direito do agravante, em face de eventuais prejuízos irreparáveis, no caso de persistir a decisão recorrida até o julgamento deste recurso pelo colegiado. Afinal, a maior interessada na revogação da liminar, que é a instituição beneficiada, igualmente postada no polo passivo da ação civil pública, não recorreu do ato judicial vergastado, e o erário foi preservado.

Além disso, a ausência da liberação de verba não impede que o evento cultural-religioso aconteça, não havendo, em princípio, nenhuma ofensa à legislação municipal que criou o dia da marcha para Jesus, a qual não contempla a obrigatoriedade de o Município subvencionar tal tipo de atividade, seja ela religiosa ou não.

Pelo exposto, recebo o recurso apenas no efeito devolutivo, para que o agravado seja intimado a responder ao recurso, querendo, no prazo de 10 (dez) dias, nos termos do art. 527, V, do Código de Processo Civil, e que sejam requisitadas da Juíza da causa as informações e os documentos que reputar úteis ao deslinde da controvérsia.

Após, encaminhem-se os autos à Procuradoria de Justiça, para a colheita do parecer ministerial.

P. Intimem-se.

Campo Grande, 25 de junho de 2013.

Des. Josué de Oliveira - Relator

O estado é laico... Logo não é válida qualquer manifestação Religiosa partindo da Prefeitura, independente de qual ela seja... Resumindo... Mova esse dinheiro para fins construtivos e legais...
 
Vinicius Pessoa em 25/06/2013 18:18:46
EU ACHO UM ABSURDO VERBA PRA MARCHA PRA JESUS,NÃO QUE EU SEJA CONTRA PELO CONTRARIO SOU A FAVOR DESSE EVENTO,ONDE O PROPOSITO É LEVAR A MENSAGEM DE DEUS.
SÓ QUE A MARCHA DEVERIA TRE RECURSOS PRO PIOS.
 
Gilson Mariano em 25/06/2013 17:20:41
Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)