Cassilândia, Sábado, 19 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

07/08/2017 16:30

Uruguai diz que "insensatez" tirou a Venezuela do Mercosul

Agência Brasil

 

A decisão de suspender de maneira indefinida a Venezuela do Mercosul ocorreu devido à "insensatez" do país , afirmou nesta segunda-feira (7) o chanceler do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, sobre a recusa do governo Maduro em ouvir os pedidos dos outros países do bloco para fomentar o diálogo. A informação é da EFE.

"Todos os atos têm consequências, desejadas ou indesejadas. A negativa em conversar, dialogar, fazer acordos, tem consequências. A verdade é que tivemos que tomar essas medidas.", frisou Novoa em entrevista a uma rádio de Montevidéu.

O chefe da diplomacia do Uruguai afirmou que o país poderia ter se abstido da decisão de suspender indefinidamente a Venezuela do bloco, mas preferiu não fazê-lo, uma postura que foi adotada junto com o presidente do país, Tabaré Vázquez. "Foi uma decisão pensada e meditada durante todo tempo porque estavámos fazendo esforços para que isso não ocorresse", explicou.

Ele disse que a suspensão da Venezuela não foi uma decisão tomada com alegria pelos demais membros do Mercosul, porque "separar um país latino-americano do processo de integração dói muito". 

Sinal político

Novoa destacou que a punição é um sinal político para o governo de Nicolás Maduro. "Desde o ponto de vista comercial, do ponto de vista das relações diplomáticas, o que vai ocorrer com o povo venezuelano muda pouco, na medida em que não há vontade de dialogar", completou.

Ele ressaltou que conversou com representantes do governo da Venezuela em abril sobre a possibilidade de realizar consultas para ajudar o país a superar a atual situação. No entanto, o chanceler uruguaio disse perceber que governo e oposição não estavam dispostos a conversar sobre esse tema específico.

"As gestões junto ao governo venezuelano foram infrutíferas e decidimos aplicar o que estava previsto no Protocolo de Ushuaia do Mercosul", explicou Novoa.

O chanceler disse também que a instalação da Assembleia Nacional Constituinte promovida por Maduro também teve influência na decisão.

Para reverter a situação, o chanceler pediu que a Venezuela garanta a aplicação dos direitos humanos em todo o país, liberte os presos políticos e estabeleça um diálogo com a oposição.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 19 de Agosto de 2017
10:00
Receita do dia
Sexta, 18 de Agosto de 2017
Quinta, 17 de Agosto de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)