Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/04/2014 15:40

Universidade é condenada a pagar R$ 18,8 mil a aluno por cancelar curso

Campo Grande News

Sentença proferida pela juíza da 4ª Vara Cível de Campo Grande, Vânia de Paula Arantes, condena a Universidade Estácio de Sá a pagar R$ 15 mil de danos morais ao estudante Valdenir Silva Santana por cancelar um curso de Segurança do Trabalho antes do término previsto. A instituição ainda terá que devolver R$ 3.899,89 ao aluno em referência às despesas gastas com matricula e mensalidades.

Veja Mais
› Cartões pré-pagos passarão a ser recarregáveis
› Corpo de homem morto há pelo menos 4 dias é encontrado no Coophatrabalho

Conforme informações publicadas pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Valdenir se matriculou no curso de Segurança de Trabalho assinando um contrato com a Estácio de Sá no dia 25 de janeiro de 2011.

Ele afirmou que o panfleto publicitário da universidade informava que o curso tinha duração de dois anos e meio. Porém, após o início das aulas, os alunos foram surpreendidos com a notícia de que o curso seria estendido para três anos, inclusive com o pagamento de mensalidades.

Ele ainda contou que no dia 9 de julho de 2012, a instituição informou o fechamento da turma alegando que não tinha número suficiente de alunos. Entretanto, o estudante disse que, como forma de compensação, a universidade propôs um desconto em outro curso por não haver nenhuma turma de Segurança do Trabalho em andamento.

A Estácio de Sá contestou argumentando que agiu no exercício regular do direito, conforme a Lei nº 9.394/96, e que não houve danos morais, muito menos materiais, uma vez que cumpriu com o contrato firmado com o autor.

No entanto, para a juíza, “no caso, revelando condizente com o dano, estando apta a servir de consolo ao autor, pelos danos por ele suportados, considerando-se, sobretudo, que o mesmo dispendeu um ano e seis meses de seu tempo, frequentando um curso de ensino superior que abruptamente fora encerrado pela ré, sem qualquer explicação plausível, a punição à instituição, para que analise a sua forma de agir, deve ser rigorosa de modo a evitar a reiteração de atos desse porte. Por essas razões, condeno a instituição ao pagamento pelos danos morais no valor de R$ 15 mil”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)