Cassilândia, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

16/02/2009 20:00

Tumulto: Promotor quer reduzir torcida visitante

Elaine Patricia Cruz ,ABr

São Paulo - A redução ainda maior do número de torcedores do clube visitante nos estádios de São Paulo durante os jogos do campeonato paulista é o que vai propor o promotor de Justiça Paulo Sérgio de Castillo, responsável pela investigação do tumulto que deixou 42 pessoas feridas após o jogo entre São Paulo e Corinthians ontem (15), no Estádio do Morumbi.

A idéia defendida por Sérgio de Castillo é de que apenas 5% dos torcedores visitantes possam estar presentes nos jogos dos seus clubes. Ontem, a diretoria do São Paulo destinou apenas 10% dos ingressos para a torcida corintiana. “A redução do público visitante diminuiu e muito os problemas", disse em entrevista à imprensa hoje (16), na sede do Ministério Público estadual.

Indagado se não seria melhor a proibir de vez a presença da torcida visitante nos estádios, o promotor disse ser contrário à idéia porque isso tiraria o brilho do futebol. “Sou contra o jogo de uma torcida só porque aí a gente ofusca completamente o espetáculo”, afirmou.


O promotor afirmou ainda que o tumulto de ontem foi "uma fatalidade" e envolveu apenas torcedores do Corinthians e policiais militares. Segundo ele, a torcida do São Paulo já havia deixado o Morumbi. “A torcida antecipou sua saída porque começou a chover forte e, no momento em que eles estavam forçando a saída, teve a explosão de uma bomba de origem desconhecida”, afirmou.

Sérgio de Castillo disse que as investigações já foram iniciadas, e revelou que a polícia encontrou duas bombas caseiras no local do estádio destinado à torcida do Corinthians.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP), dois boletins de ocorrência foram registrados ontem após a confusão. O primeiro diz que torcedores corintianos e policiais militares entraram em confronto após a partida, quando os torcedores se preparavam para deixar o Estádio do Morumbi.

De acordo com esse boletim, várias bombas caseiras, bolas de gude e cadeiras arrancadas da arquibancada do estádio foram arremessadas pelos torcedores, que também cercou alguns policiais contra o muro do estádio e os ameaçaram de morte. Para conter o tumulto, segundo o boletim de ocorrência, os policiais teriam utilizado munição não-letal, tais como balas de borracha. O resultado foram vários policiais e torcedores feridos, embora a secretaria não saiba estimar a quantidade de feridos.

No site oficial do São Paulo, a assessoria de imprensa do clube disponibilizou fotos da depredação do estádio do Morumbi e colocou a culpa nos torcedores do Corinthians: “parte da torcida visitante depredou o estádio”, diz a nota do clube. Procurada pela Agência Brasil, a assessoria do São Paulo disse que não tinha ainda contabilizado os estragos e nem feito uma estimativa do número de feridos.

Já a assessoria do Corinthians, por meio de uma nota oficial publicada em seu site, disse “lamentar os incidentes ocorridos ao término do jogo” e estar confiante de que o Ministério Público vai saber impor condições civilizadas de acesso e saída do Morumbi. Na nota, a assessoria do clube diz também manifestar apoio aos torcedores vitimados, que foram “verdadeiros mártires da arrogância e incompetência de adversários que nos tratam como inimigos”.

O Corinthians responsabiliza o lançamento de bombas aos torcedores do clube do Morumbi, que a teriam arremessado o artefato “do estacionamento privativo dos sócios do São Paulo” e também à diretoria do clube pela decisão de limitar o número de torcedores do Corinthians ao estádio.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)