Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/03/2006 09:39

TST nega indenização moral em justa causa por furto

TST

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou indenização por dano moral a uma trabalhadora demitida por justa causa após admitir ter furtado, diariamente, R$ 80,00 do caixa da empresa no período de oito meses. Ex-caixa de uma lanchonete de Florianópolis, ela recorreu contra decisão de segunda instância, mas o recurso não foi conhecido pela Turma do TST.

A defesa contestou as provas que levaram a primeira e a segunda instâncias da Justiça do Trabalho de Santa Catarina a indeferir o pedido de nulidade da justa causa. Porém, a relatora do recurso no TST, juíza convocada Maria de Assis Calsing, disse que ficou comprovado, para o Tribunal Regional do Trabalho (12ª Região), que a funcionária cometeu furto continuado. Ela ressaltou que para mudar a decisão do TRT seria necessário o reexame de fatos e provas, inviável nessa fase do processo, de acordo com a jurisprudência do TST (Súmula 126).

O pedido de indenização por dano moral foi feito sob a alegação de que a prisão da trabalhadora constituiu-se lesão à honra e à imagem dela. Porém, de acordo com a relatora, ficou esclarecido, na decisão do Tribunal Regional, que a detenção foi feita “da forma mais discreta possível, com policiais à paisana, sem algemas, sendo ela conduzida em veículo sem identificação”.

A defesa também alegou nulidade da decisão do TRT pelo fato de o juiz que atuou na audiência de instrução e em outra na qual foram colhidos depoimentos das partes ter sido relator do recurso da trabalhadora no TRT. A relatora rejeitou a alegação. Pela CLT, a nulidade ocorre apenas quando os atos correspondentes importarem em prejuízo à parte. Como o TRT registrou que o juiz-relator não adotou nenhuma decisão no primeiro grau, tendo apenas presidido a instrução, não há como reconhecer-se qualquer nulidade, disse Maria Calsing.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)